AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quinta-feira, 8 de setembro de 2011

CHEGOU A VEZ DO " SEITAS DO MAL " TER O SEU TACHO, MAIS UM NA SUA CARREIRA ! - A CGD terá proposto Freitas do Amaral para "chairman" da Galp Energia, de acordo com o "Diário Económico".


A CGD terá proposto Freitas do Amaral para "chairman" da Galp Energia, de acordo com o "Diário Económico".
O jornal diz que a CGD, que controla 1% da petrolífera, terá avançado com o nome de Freitas do Amaral.

Segundo o acordo parassocial o Estado tem o papel de nomear o “chairman”, o que é feito através da CGD.

A nomeação estará pendente do consenso com a Amorim Energia e a Eni, mas, segundo o mesmo jornal, estes accionistas já terão aceite a proposta.

A presidenta



A democracia em Portugal é assim uma espécie de sistema de partido único com uma espécie de partido suplente, em modo de alterne. Dizem que a coisa funciona.
.
Assim, com o PSD o país inteiro é uma espécie de grande aldeia da coelha: tem uma maioria, um governo e um presidente. A maioria é constituída por uma mole imensa e flutuante de apoiantes cretinos e por uma pequena mas selecta quantidade de senadores, quase todos presidentes de conselhos de administração de grandes empresas cotadas em bolsa; o governo é presidido por um tal de Coelho; e o presidente, é um tal de Silva, Cavaco Silva.
.
Já o PS, agora na oposição, não tem maioria, nem governo nem presidente; a minoria flutuante que sustenta este partido fez aliás com que os seus senadores, que eram presidentes, alternassem para vogais nos conselhos de administração das mesmas empresas cotadas em bolsa que são, agora, presididas pelos senadores do partido rival.
.
Em democracia, tudo depende de uma espécie de "flutuação de ânimo" de uma ampla maioria de imbecis (como é sabido, é este ânimo flutuante que faz o regime funcionar, no seu característico alternar).
A luta política em democracia é, pois, uma eterna guerra não declarada; e não de rosas, mas de espinhos. Se um mata, o outro esfola. Assim, como os suciaisdemucratas têm um Silva a presidente, os sucialistas não fazem a coisa por menos: acabam de eleger uma Roseira para presidenta. Nem mais. Roseira, Maria de Belém Roseira.

E é este o género de frémito democrático que, pensam eles, faz flutuar os ânimos..

.

Passos Coelho quer pouco “barulho” nas ruas …..

Passos Coelho decidiu tirar a máscara e de forma velada, ameaçou com repressão todos aqueles que se manifestarem nas ruas: «Nós não confundiremos o exercício dessas liberdades com aqueles que pensam que podem incendiar as ruas e ajudar a queimar Portugal. Pode haver quem se entusiasme com as redes sociais e com aquilo que vê lá fora, esperando trazer o tumulto para as ruas de Portugal. Saberão que nós sabemos dialogar, mas que também sabemos decidir.»
Não tenhas medo pá, o povo português é sereno, calmo, pacifico e acolhedor……
Passos Coelho está cheio de medo das ruas! Mas é preciso ter muito descaramento e nem um pingo de vergonha na cara para vir ameaçar depois de tudo o que prometeu e que não está a cumprir.
É muito natural, que pela sua política  deva temer os tumultos das classes trabalhadoras mais penalizadas que nele confiaram.
Se já está assim ao fim de 2 meses, imagine-se como será daqui para a frente, quando a rua se começar a manifestar a sério!
Quando alguém avisou que Passos Coelho não estava preparado para governar, pela primeira vez disse uma verdade. Ele não governa, limita-se a seguir a Troika, aumentar impostos, penalizando os mais pobres e favorecendo os mais ricos.
Na sua candidatura prometeu tanta coisa bonita que até achei que era um homem íntegro e que queria falar a verdade aos portugueses, sempre, mantendo com eles um diálogo e sem segredos, mas não em sessenta dias ultrapassou tudo o que tinha prometido não fazer……

Portugal condenado por não tratar esgotos! Na Ria Formosa as autoridades fecham os olhos à Poluição .


Portugal condenado por falhas no tratamento de águas
08.09.2011
Lusa
O Tribunal de Justiça da União Europeia condenou hoje Portugal ao “pagamento nas despesas” de um processo pelo não cumprimento de obrigações no tratamento e descargas de águas residuais urbanas e industriais em vários pontos do país.
“O Tribunal de Justiça declara que Portugal não cumpriu as obrigações que lhe incumbem por força da Directiva 9/271”, lê-se no acórdão hoje proferido no Luxemburgo e no qual “a República Portuguesa é condenada nas despesas”.

O processo C-220 10 diz respeito a várias situações de incumprimento da directiva 9/271, como a de “identificar como zonas menos sensíveis todas as águas costeiras da ilha da Madeira e da ilha de Porto Santo”. Ainda na região autónoma, Portugal não cumpriu a legislação europeia “ao sujeitar a um tratamento menos rigoroso que o tratamento secundário as águas residuais urbanas provenientes de aglomerações com um equivalente de população superior a 10.000, como as aglomerações do Funchal e de Câmara de Lobos, e descarregadas nas águas costeiras da ilha da Madeira”.

Outra situação identificada pela Comissão Europeia e que deu origem ao processo judicial é a de não ter sido garantida, “relativamente à aglomeração de Quinta do Conde [Sesimbra], a existência de sistemas colectores das águas residuais urbanas”.

A falta de um tratamento das águas residuais “mais rigoroso” do que o secundário foi apontada em “aglomerações de Albufeira, de Armação de Pêra, de Beja, de Chaves, de Viseu, de Barreiro/Moita, de Corroios/Quinta da Bomba, de Quinta do Conde e de Seixal”.
Noticia retirado da Ecofera do Publico on Line.
Nota do Olhão Livre: a Ria Formosa é uma Zona de Protecção Esepecial e empresa publica, Aguas do Algarve descarregam escorrências mal tratadas para essa ZPE. Nós temos denunciado esses crimes e continuaremos a denunciar .
É tempo do Governo abrir os olhos e obrigar as Aguas do Algarve a tratar os esgotos como mandam as normas comunitárias, pois é para isso que as leis existem, e nós pagamos na factura da água.
Também a CMOlhão insiste em mandar diariamente para a ZPE da Ria Formosa, esgotos Tóxicos não tratados, como se podem ver no T cais de embarque para as ilhas da Culatra Armona e Farol na Marina de Olhão e na Horta da CMOlhão.
Também o IPTM descarrega diariamente esgotos Tóxicos não tratados para dentro da Doca de pesca sendo mais grave ainda pois essa agua serve para a lavagem das embarcações de pesca do porto de pesca de Olhão, e para a descarga do peixe das traineiras.
Perante estes crimes todos vão continuar a fechar os olhos à espera que a União Europeia multe outra vez Portugal? Será que é preferível o Estado pagar as multas do que cumprir a lei?
Que estado de direito é esse,que não cumpre e depois exige que o cidadãos cumpram as leis?


ROUBO

Me roubaram os sonhos
Me deixaram os medos e pesadelos.

Deus não paira nas águas
A praia se encheu de pedras.

Amei-te mesmo assim
Sedento e exausto.

Te procuro
E não te encontro.

Tudo mudou num instante
E tudo que conheci
Não existe mais.

Fala-me,
Atira as lembranças de ti
Como um convite ao meu caminho.

Volta,
Ajuda-me a encontrar os sonhos
A vida não está completa.

Tu eras o meu sonho
E me roubaram os sonhos.

Neles me via
Neles me reconhecia
Com eles falava
Eles me respondiam...

Solitárias ondas saltam
Viajo nos poços abertos
Nos crepúsculos que se abrem.

Aceita-me,
Dá-me uma solidão só minha,
Mas perfeita.

Me deixaram sem perguntas
Desinteressados
Frios no ar da noite.

Sem eles
Sem ti
E sem tempo,
Que será de mim?

Beija-me no silêncio da noite
Mesmo sem te ver
Acredito em ti!...

acordar ao teu lado - poema ilustado de António Garrochinho

Setembro 01 2011
  

   1ª metade dos anos 60: a juventude portuguesa sufocava entre o bolor salazarento de uma sociedade fechada, totalitária e sem perspectiva de futuro.

   A guerra colonial dava os primeiros passos e a juventude começava a ser mobilizada para a guerra longínqua e sem futuro.

   Portugal, descalço e analfabeto, esvaziava-se pelos trilhos clandestinos da emigração ilegal para as obras de Paris.

   A luta estudantil contra a ditadura salazarista agudizava-se.

   E lá de fora, da França onde perto de 1 milhão de portugueses labutava nos subterrâneos de Paris nas obras do saneamento e do metro, surgia esta figura frágil, doce e bela a cantar que todos os rapazes e raparigas da sua idade se passeavam de mão dada pelas ruas de Paris.

   Paris, essa cidade mítica com que todos os adolescentes e jovens do meu tempo sonhavam!

   A Paris da liberdade, da igualdade e da fraternidade, de onde nos vinham os ecos da literatura, da filosofia, da poesia e das belas artes com que todos sonhávamos!

   Foi o grande sucesso!

   Passear em Paris, livres e de mãos dadas: suprema felicidade!

   Em memória desses tempos ouçam esta pequena pérola:








blog emgestaocorrente

Se em vez de pensarmos...


Aviso


O QUE será que Pedro Passos Coelho quis insinuar, quando disse que "em Portugal, há direito de manifestação, há direito à greve. São direitos que estão consagrados na Constituição e que têm merecido consenso alargado em Portugal, mas nós não confundiremos o exercício dessas liberdades com aqueles que pensam que podem incendiar as ruas e ajudar a queimar Portugal". E mais ainda: "Pode haver quem se entusiasme com as redes sociais e com aquilo que vê lá fora, esperando trazer o tumulto para as ruas de Portugal".

Provavelmente, não houve ninguém que dissesse a Passos Coelho que os meninos não devem brincar com fósforos, e já sendo crescidos, nos tempos que correm, ameaçar com a intimidação, polícia de choque e afins, não é a melhor forma de governar um país.

Saúde sr. ministro!

domingo, 4 de Setembro de 2011Ir para o artigo completo

A coisa corre-lhes de tal maneira de feição que os ministros deste governo nem sequer sentem necessidade de dourar a pílula. Directos e incisivos, como Paulo Macedo, que considera que a vida dos outros pouco vale e como tal afirma que é preciso diminuir o número de transplantes.

E digo a vida dos outros porque sei de antemão que se Paulo Macedo necessitasse de algum órgão para transplante o teria, dinheiro não lhe falta e há por aí muito tráfico de órgãos, já não estranho tamanha ligeireza e crueldade na afirmação. Por esse mundo fora muito desgraçado em desespero de causa vende os seus, outros depois de raptados acordam com um a menos numa qualquer valeta da vida.

Por certo Paulo Macedo conhecerá os centros de tráfico agora que é também perito nos negócios da saúde, um deles foi dirigido por aquele que foi primeiro-ministro do Kosovo, Hashim Thaci, que a trupe de Macedo tanto porfia em proteger, percebe-se porquê, é mais um negócio com óptimo retorno.

Blog salvoconduto
Falha-lhe o cabelo mas não lhe falham as ideias


Se pudessem esgravatariam rápido até à última onça de ouro em território venezuelano. Passam a vida a queixar-se do governo que impõe limites à exploração e exportação e criticam a preocupação deste em manter reservas estratégicas. A estratégia deles é outra...

As empresas privadas mineiras às quais em 2009 foi permitida uma quota de exportação do ouro venezuelano de 30% e que viram esse número aumentar para 50% em 2010 esticam agora a corda, dizem que é curto e querem chupar o osso até ao tutano.

Mas parece que chegou a vez de o governo dizer basta e a nacionalização da exploração do ouro, que quer eles queiram ou não é do povo venezuelano, está em cima da mesa e equaciona-se mesmo o repatriamento das reservas que se encontram no estrangeiro.

É Chávez que diz que a Venezuela não se pode permitir a ter cerca de 13 mil milhões de dólares de reservas de ouro em bancos estrangeiros, que à menor distracção logo serão confiscados.

De tão habituados que estavam a roubar os recursos naturais dos povos da América Latina não se deram conta que em alguns desses países muita coisa já mudou e outra está em vias de mudar.

Quando lhe falham os argumentos e o apoio da tropa do passado acusam Chávez de encenar um melodrama em torno de uma "hipotética doença". Até nestas coisas esta gente é vil e rasteirinha mas ou me engano muito ou ainda vão ter que gastar uma nota preta nas velas de cera que eles sim já devem estar carecas de colocar às santinhas lá do sítio....


publicado por salvoconduto
À LUZ DAS VELAS - sonetilho

Amigo, este nosso medo
É pão servido nas mesas
Dessas humanas fraquezas
A que eu sei que já não cedo!

Não cobiço o teu segredo;
Desfraldei velas acesas
Na mira de outras riquezas
Que durem mais do que um credo…

[lá fora é noite cerrada
e aqui, de luz apagada,
só vejo o que eu quero ver

se me esqueço de acender
esta vela, tão queimada,
que pouco ilumina… ou nada!]




 Maria João Brito de Sousa – 07.09.2011
blog poetaporkedeusker

Lula da Silva... e o jornalismo de esgoto


Luiz Inácio Lula da Silva visitou-nos. Um dos locais de visita foi o Estádio da Luz. Quiçá encandeado pela cor omnipresente no lugar... desatou a dizer coisas como:
«Aumentar o salário mínimo não produz inflação»... acrescentando que esse foi um dos tabus económicos quebrados durante o seu governo.
E eu, com os meus botões: “não querem lá ver que o ex-operário metalúrgico, o ex-sindicalista, o “iguinorante”... afinal é catedrático e Nobel da Economia... e ninguém sabia?”
Mas não! Este post não é sobre as minhas confidência com os meus botões, mas sim sobre o jornalismo de esgoto com que somos agredidos “democrática” e diariamente. Trata-se, desta vez, de mais uma das frases de Lula da Silva, que por mais voltas que tenha dado só encontrei, por cá, nesta versão:
Ora, como estava convencido de ter ouvido Lula dizer esta frase, mas numa versão mais “abrangente”, meti pés a caminho e lá fui, por esse mundo de Deus, à procura de quem me desse razão. Não foi difícil. Vários jornais e rádios do mundo conseguiram ouvir o mesmo que eu. Poderia ter escolhido muitos links… desde Cuba a vários outros países, mas “pelo seguro” escolhi a notícia do Deutsche Welle em espanhol:
Claro... claro que o desaparecimento da “especulação bancária norte-americana” nos nossos jornais, pode ter sido acidental. Ou então, não o sendo, não sei o que chamar aos vermes que fazem este tipo de jornalismo cobarde e agachado.

PORTO DE PESCA DE OLHÃO - 6 FOTOS DE LEME - IMAGENS DE PORTUGAL





FOTOS LEME - IMAGENS DE PORTUGAL