AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Unida ao Corpo Só

Perdes o pejo
Na aventura que vês em mim
E abraças o fogo
Da loucura do peito carmesim.
Bebes o ensejo no instante fecundo,
Sulcas a paixão no regaço do Mundo.
Vem… Sacia a sede que se insurge
Na voz que modula a liberdade que urge.

E salvas, enfim, a amarga nação
No viço de um beijo, em pleno Verão.

Unida ao corpo só,
Dança no tempo, aqui
E desata o nó da ilusão em ti.

Despes a alma
Que se entrega no leito quente
E sentes a sombra
Que não nega a noite premente.
Segues a silhueta no pez da estrada…
Eis a revolução na terna madrugada.
Vem… Afaga a mão que resiste
Na tez que espelha a luz que persiste.

E salvas, enfim, a amarga nação
No viço de um beijo, em pleno Verão.

Unida ao corpo só,
Dança no tempo, aqui
E desata o nó da ilusão em ti.

Matas a dor no alento,
Amas o céu no vento
Sobre o chão alado do silêncio.

Unida ao corpo só,
Dança no tempo, aqui
E desata o nó da ilusão em ti.


(Letra de uma canção registada no IGAC)

Um convite indecente

O convite  do ministro Miguel Relvas endereçado a Mário Crespo para ocupar o lugar de correspondente da RTP em Washington, mesmo que acabe por não redundar numa nomeação, é, só por si, um escândalo de todo o tamanho. Por um lado, porque o convite foi feito à margem de todas as normas vigentes na empresa, normas que Relvas, pelos vistos, não tem qualquer pejo em desrespeitar e violar, e por outro, porque o convite corre o sério risco de poder a ser visto como um pagamento dos fretes que o Crespo andou a fazer nos últimos anos à frente das câmaras da SIC, em benefício do PSD.
Compreendo o Porfírio quando pergunta onde é que está a surpresa do convite. De facto, para quem não tem vergonha, todo o mundo é seu. Ainda assim, eu, que continuo a estranhar se vir um porco a andar de bicicleta não posso negar a minha surpresa. É que para tudo há limites e, neste caso, todos os limites da decência foram ultrapassados.
(imagem daqui)

HUMOR EM TEPO DE CRISE - A GESTÃO POR OBJECTIVOS

Era uma vez uma aldeia onde viviam dois homens que tinham o mesmo nome:

Joaquim Gonçalves.

Um era sacerdote e o outro taxista.

Quis o destino que morressem no mesmo dia.

Quando chegaram ao céu, São Pedro esperava-os.

- O teu nome?

- Joaquim Gonçalves.

- És o sacerdote?

- Não, o taxista.

São Pedro consulta as suas notas e diz:

- Bom, ganhaste o paraíso. Levas esta túnica com fios de ouro e este ceptro de platina com incrustações de rubis. Podes entrar.

- O teu nome?

- Joaquim Gonçalves.

- És o sacerdote?

- Sim, sou eu mesmo.

- Muito bem, meu filho, ganhaste o paraíso. Levas esta bata de linho e este ceptro de ferro.

O sacerdote diz:

- Desculpe, mas deve haver engano. Eu sou o Joaquim Gonçalves, o sacerdote!

- Sim, meu filho, ganhaste o paraíso. Levas esta bata de linho e...

- Não pode ser! Eu conheço o outro senhor. Era taxista, vivia na minha aldeia e era um desastre! Subia os passeios, batia com o carro todos os dias, conduzia pessimamente e assustava as pessoas. Nunca mudou, apesar das multas e repreensões policiais. E quanto a mim, passei 75 anos pregando todos os domingos na paróquia. Como é que ele recebe a túnica com fios de ouro e eu... isto?

- Não é nenhum engano - diz São Pedro. - Aqui no céu, estamos a fazer uma gestão mais profissional, como a que vocês fazem lá na Terra.

- Não entendo!

- Eu explico. Agora orientamo-nos por objectivos. É assim: durante os últimos anos, cada vez que tu pregavas, as pessoas dormiam. E cada vez que ele conduzia o táxi, as pessoas começavam a rezar.

Resultados! Percebeste? Gestão por Objectivos! O que interessa são os resultados; a forma de lá chegar, é completamente secundária...!

Jardim exige “fatia” da ajuda da 'troika' !

Alberto João Jardim já fez saber a sua "exigência" a Passos Coelho e a Cavaco Silva !!!???
Governo Regional diz que faz sacrifícios, por isso também tem direito a empréstimo!!!???
A Madeira exige uma fatia dos 78 mil milhões de euros que a 'troika' emprestou a Portugal para pôr em ordem as contas da região. Alberto João Jardim fez saber isso mesmo a Passos Coelho e a Cavaco Silva, mas a região autónoma não parece disposta a fazer mais sacrifícios, além dos que estão escritos no memorando. As Finanças estão a ajudar a hipótese de ajuda, depois da 'troika' ter descoberto um buraco de 277 milhões nas contas da região, que contribuiu para o "desvio colossal" do Estado.
“in Diário de Noticias”
Isto é o cúmulo do descaramento, João jardim, não tem a mínima ponta de vergonha na cara, não abdica das suas reformas douradas, não se sabe onde meteu o dinheiro que era para a reconstrução da ilha e ainda á pouco foi descoberto um buraco de 277 milhões de euros, que vão ser pagos com o dinheiro dos nossos impostos, vivendo alguns de nós em regiões menos desenvolvidas do que a Madeira! E quer mais dinheiro?
Todos quantos tiveram responsabilidade política neste país nos últimos 30 anos, são co-responsáveis, pela actuação danosa deste Sr. e a respectiva corte que reina na Madeira e se prepara para continuar.
Entre ! quem é ?



Bateste á porta da minha vida
agora estás debruçada na janela do meu coração
plantaste canteiros de rosas, de margaridas
e cravos
deixa-te estar na casa quente e amena , o nosso lar
deixa-me enraizar em ti
as flores
o néctar
em suculentos favos
desse mel do amor
que nos vai alimentar
nas primaveras
no inverno frio
nos verões de azul e estio
passearemos abraçados
falaremos com o mar
contando só a ele os nossos segredos
para que o nosso amor seja semente
em terra
nos oceanos
nos ventos
e no meio das estrelas
para nós
para outros
possa brilhar
eternamente

António Garrochinho

Mosteiro de Santa Clara-a-Velha

Consegui, finalmente, visitar o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha e gostei muitíssimo.
O Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, fundado no século XIII, sofreu constantes inundações e acabou por ser abandonado. Como esteve inundado durante muito tempo, ficou em ruínas, sobretudo no interior da igreja e na zona do claustro. Este facto torna-o diferente dos outros conventos que visitei, que continuaram a ser utilizados como conventos, ou que foram adaptados para outras funções.
Não vou aqui reproduzir o que já vem escrito noutros sítios, mas sim mostrar as fotografias daquilo que achei mais interessante:

As pedras que pertenciam ao claustro, que estão numeradas e que parecem fazer parte de um gigantesco puzzle
 Os capitéis medievais esculpidos com motivos zoomórficos e vegetalistas
Os azulejos
O arco triunfal que albergava o túmulo da Rainha Santa Isabel (transferido para o Mosteiro de Santa Calara-a-Nova)
O facto de se poder ver a estrutura (esqueleto) da arcaria do edifício
Concluindo, achei tudo uma maravilha, incluindo a vista para a Universidade.

 blog Memórias e imagens