AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


domingo, 7 de agosto de 2011

Passe Carris/ML representa 6,9 % do salário mínimo nacional

Passe Carris/ML representa 6,9 % do salário mínimo nacional

Os aumentos nos transportes impostos pelo Governo, para os das cidade de Lisboa e Porto, têm mais impacto nos ordenados dos utentes da Capital do que na Invicta.

Em Lisboa, o passe intermodal da Carris combinado com o Metropolitano custa 33,85 euros por mês, um valor que representa 6,9% do salário mínimo nacional.

Se o titular tiver um ordenado que ronde valores próximos do salário mensal médio português (calculado em 777 euros), terá de despender 4,3% do ordenado para comprar o passe.

Já no Porto, o passe mensal mais barato custa 29 euros, o que representa 5,9% do salário mínimo e 3,7% do salário médio nacional.
A Bola - 07-08-2011

NEM TODOS OS CÃES SÃO DE BARRO (4)





Quando olhava para os céus via um abismo azul que a atraía e talvez por isso sempre que assistia a um concerto de pássaros despertava para o desejo de voar.

Limitada aos seus gorgeios na procura quase obsessiva de apanhar um pássaro já tinha experimentado tudo - quase tudo.
Subiu árvores inventou destinos empoleirou-se nas escarpas quando o vento soprava forte nas piores estações - até no brilho lúcido dos olhos dos ratos quando indecifráveis trepavam paredes e desapareciam pelas fissuras do ar em movimento.

Um dia ouviu como nunca tinha ouvido vozes a espargirem sons como se fossem palavras a estilhaçar silêncios.

Agachou-se debaixo da figueira paciente como sempre não para voar mas para cumprir um desígnio - comer um pássaro.
Estava-lhe no sangue querer voar mesmo sem asas. Comer um pássaro.

Na verdade se os rios insistem correr para os mares porque não comer um pássaro fechar os olhos e voar a estilhaçar silêncios?

Agachada debaixo da figueira passou uma eternidade a ouvir gorgeios e a vê-los de ramo em ramo a comer figos e a tracejarem horizontes.

Entristecida sentiu-se uma gata a imaginar-se pássaro a regorgitar memórias que não passavam do chão.

Uma vez mais foi assim no êxtase de um belíssimo concerto de gaios e melros.
Inexplicavel mente sentiu um arrepio no corpo a invadir-lhe a alma - e foi assim num rasgo de lucidez que concluiu

a vida mesmo com fragilidades pode ser mais que o voo de um pássaro mesmo quando se juntam para cantar.

E foi assim que assumiu a sua condição.

Filou o auditório e lançou~se vertiginosa sobre um ratinho do campo que atento fruía do grupo coral.

Abocanhou-o sem o ferir.
Cabisbaixa transportou-o para o alpendre onde dormitava o Dique.
Miou com o rato na boca.
Chamava a atenção do Dique que se levantou com outros azuis nos olhos.
O Dique lambeu-lhe uma orelha abocanhou-a sem a ferir e transportou os dois para debaixo da figueira onde ainda permaneciam tenores a improvisar infinitos do belo canto que nos ensinavam a voar.

Deitámo-nos a ouvir o concerto dos pássaros
até adormecerem os ponteiros do relógio .




CAMA DESFEITA - JOSÉ MARIA ALVES

 
A cama Desfeita Sem o teu corpo Branco de neve Gelou

Lixeiro

Pendurado num camião do
lixo atravessas a cidade

de bairro em bairro de rua
em rua de beco em beco

com as luvas de protecção e
o colete fluorescente.Conheces

como ninguém o cheiro
a azedo e a vomitado...

Não te surpreendas se um dia
destes descobrires um coração

ainda a sangrar embrulhado
num saco de supermercado.

Do livro: "Porto de Abrigo".

ACESSORES COM 3.892,53 EUROS - SÃO ACESSORES MAS TÊM SALÁRIO DE DIRECTOR GERAL - Então um assessor aufere 3.892,53 euros e o motorista do primeiro ministro Jorge Morais ganha 583,58 euros um homem que tem o P.M. nas nãos. Não bate a cota com a perdigota.....

Assessores com 3.892,53 euros.........

São assessores mas têm salário de director-geral 
É o que consta nos despachos publicados ainda na sexta-feira, em Diário da República. Em causa, estão os cargos de Eduardo Raul Lopes Rodrigues - técnico superior da Direcção-Geral das Actividades Económicas, nomeado «em comissão de serviço e sem suspensão do estatuto de origem, para realizar estudos e trabalhos técnicos no âmbito das respectivas habilitações e qualificações profissionais» - e de Maria de Lurdes Vale, a assessora de imprensa mais bem paga do Governo.tvi24.
Nota D"SUL Então um assessor aufere 3.892,53 euros e o motorista do primeiro ministro Jorge Morais ganha 583,58 euros um homem que tem o P.M. nas nãos. Não bate a cota com a perdigota.....
 
blog D'sul

Banca- A Caixa Geral de Depósitos entregou 91 milhões de euros de impostos ao Estado relativos aos resultados do primeiro semestre deste ano.


A Caixa Geral de Depósitos entregou 91 milhões de euros de impostos ao Estado relativos aos resultados do primeiro semestre deste ano. Este valor representa um crescimento de quase 400% (392%), em relação ao imposto pago em 2010 e foi responsável pela queda nos lucros semestrais anunciada ontem pela CGD. Antes de impostos os resultados cresceram 47,4% para 182,4 milhões de euros.

São duas as razões para este forte aumento da carga fiscal, explicou ao i o vice-presidente da comissão executiva Norberto Rosa. Por um lado, a CGD vai pagar 14,7 milhões de contribuição extraordinária, um imposto sobre os passivos que entrou em vigor este ano. Por outro lado, o banco teve de anular impostos diferidos (créditos fiscais) resultantes de prejuízos no negócio da Saúde. Como resultado, e sem contar com o novo imposto sobre a banca, os resultados da Caixa foram sujeitos a uma taxa efectiva de IRC de 30%, que é bastante superior à que o sector bancário paga em regra.

Mas se a Caixa está a pagar mais impostos, tudo indica que continuará a não entregar dividendos ao Estado no próximo ano. Segundo Norberto Rosa, a estratégia para reforçar os rácios de solidez financeira do banco, passam pela retenção dos resultados deste ano no balanço. Por outras palavras, no próximo ano, a Caixa não deve propor dividendos ao Estado sobre os lucros deste ano. Situação que já aconteceu este ano.

O banco público está com um rácio core tier 1 (que mede os fundos próprios de base em relação aos activos ponderados pelo seu risco) de 8,6%. Segundo o acordo com a troika, este rácio tem de chegar a 9% este ano e 10% em 2012. A venda de activos, incluindo participações financeiras em empresas, e a redução na carteira de crédito, são outras vias a usar pelo banco público para cumprir estes critérios de solidez.

A actividade bancária do primeiro semestre ficou marcada por uma travagem na concessão de crédito - queda de 255 milhões na habitação e um ligeiro crescimento no segmento das empresas. Ainda assim, as imparidades (perdas em balanço) de crédito dispararam 68,6%, face ao primeiro semestre de 2010, fixando-se em 349,3 milhões de euros.

Os recursos de clientes (onde se incluem os depósitos) cresceram 9,6%. De realçar ainda o corte nos custos operacionais de 8,8%, onde a principal fatia da poupança (10%) foi nos encargos com salários no banco. Mas esta queda foi contrariada pela evolução dos custos na área internacional e hospitalar.

Banca lucra menos que a EDP No primeiro semestre de 2011, o lucro da Caixa atingiu 105,3 milhões de euros, o que traduz uma quebra de 13,2% em relação a Junho do ano passado. O resultado apurado pelo banco público não muda muito o panorama já conhecido dos lucros da banca nacional privada.

As cinco principais instituições financeiras - Caixa, BCP, BPI, BES e Totta - anunciaram um resultado líquido de 487,5 milhões de euros, o que equivale a uma descida de cerca de 46% face ao mesmo período do ano passado e inferior ao lucro superior a 600 milhões de euros registado pela EDP.

Oração - A banda mais bonita da cidade - Tudo tão simples...



Oração
(Leo Fressato)

Meu amor essa é a última oração
Pra salvar seu coração
Coração não é tão simples quanto pensa
Nele cabe o que não cabe na despensa

Cabe o meu amor!
Cabem três vidas inteiras
Cabe uma penteadeira
Cabe nós dois

Cabe até o meu amor, essa é a última oração... ...

Perguntar-se-ia: então e isto dá para fazer uma canção? Claro que dá! Se for imaginada ao jeito e balanço do Brasil... pode mesmo dar uma daquelas canções intermináveis, contagiantes...

Seja como for, o que está em causa no vídeo de hoje não é a canção, mas sim o vídeo propriamente dito. Trata-se de uma exibição exuberante de criatividade. Daquelas em que o talento se veste daquela simplicidade quase no limite da (boa) provocação, tal o rigor, tal o trabalho, tal o planeamento e a execução milimétrica que este aparente simples divertimento de amigos implicou.

Nesta demonstração de arte que não precisou de um orçamento milionário para ver a luz do dia, tudo acontece quando deve acontecer, numa espécie de corrente de ideias em que ninguém está a mais, em que, como cantou o Zeca, “cada um com seu tijolo” faz parte da construção. “Isto aqui era uma orquestra... quem diz o contrário é tolo”.

Decidiram chamar-se “A banda mais bonita da cidade”. E porque não? São uma bela inspiração para quase tudo o que devemos fazer na vida: bem feito, sem ostentação gratuita, rodeados de amigos, com alegria... e no tempo certo.

Bom domingo!

“Oração” – A banda mais bonita da cidade
(Leo Fressato)


A ser verdade a notícia, quem é que deve corar de vergonha?

São os descarados intervenientes, ou quem neles votou?
São os partidos que derrubaram o Governo de José Sócrates, ou é o Senhor dos Pasteis? Alguém tem de ser!:

Passos Coelho vai de férias para a casa de Mira Amaral..."O assessor de imprensa de Mira Amaral, já veio colocar lume na fervura, afirmando que ‘o Doutor Mira Amaral e o Dr. Passos Coelho são amigos de longa data, e o convite já tinha sido feito muito antes das negociações do BPN’. No comunicado também se pode ler que ‘a política ficará de fora desta semana de férias. É intenção do Doutor Mira Amaral proporcionar ao Senhor Primeiro-Ministro e à sua família uma merecida semana de repouso. Entre as actividades a realizar, prevê-se a título de exemplo uma churrascada para a qual será também convidado o Excelentíssimo Senhor Presidente da República, bem como outros membros do Governo e figuras de destaque da vida política nacional; uma ida a um clube nocturno, para que a esposa do Dr. Passos possa dar um pezinho de Kizomba; um encontro com o Senhor José Camarinha, ícone das noites de Portimão e que o Senhor Primeiro-Ministro admira desde os seus tempos da juventude; entre outros" Qual era o tal governo que tinha que terminar para salvação nacional? Quem é que era o tal corrupto impenitente?