AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Estado deve 30 milhões aos advogados oficiosos


Estado deve 30 milhões aos advogados oficiosos
Os advogados que prestam apoio judiciário ascendem a cerca de nove mil
A Ordem dos Advogados anunciou esta quarta-feira que o Estado deve cerca de 30 milhões de euros aos advogados que prestam apoio judiciário e que vai realizar uma assembleia geral extraordinária em Setembro para discutir esta questão.
Num documento dirigido à classe, divulgado no seu site na Internet, a ordem lembra que a 29 de Julho passado o bastonário dos advogados, Marinho Pinto, e a ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, reuniram-se e decidiram "proceder a uma auditoria conjunta aos processos registados no âmbito do apoio judiciário".
Essa decisão foi tomada depois de a ministra ter apresentado "um relatório que concluía pela existência de irregularidades nos pedidos de pagamento de honorários formulados por um número significativo de advogados".
Segundo a ordem, "tal conclusão alicerçava-se no confronto que havia sido feito entre a informação introduzida pelos advogados na plataforma informática SinOA com a informação constante dos respectivos processos judiciais".
No documento dirigido aos advogados, Elina Fraga, 1.ª vice-presidente do Conselho Geral da ordem, realça que, da mesma forma que "a Ordem dos Advogados manifestou disponibilidade" para colaborar na auditoria para "total apuramento da verdade", também "colocará igual empenho na obtenção do pagamento dos honorários em dívida", que ascendem a "29.610.034,29 euros", só nos processos registados no sistema informático SinOA.
Assim, a ordem vai exigir ao Ministério da Justiça "o pagamento imediato de, pelo menos, todas as notas de honorários lançadas na plataforma Citius e todas as notas de honorários do SinOA, nas quais o advogado apenas reclame o pagamento dos honorários/compensação do processo, sem qualquer acréscimo remuneratório".
Jornal de notícias

O Al Capone também tinha contabilidade!

O BPN, primeiro foi roubado em 9,7 Mil Milhões de Euros.
Depois, fizeram-se e refizeram-se as contas, avaliou-se o passivo, o activo, o assim-assim, contaram-se as cadeiras e as mesas, os serviços de chá e os bibelots foram todos verificados.

Tudo certinho! e acabou, "atrapalhando o tráfego", perdão, "vendido" por 40 Milhões de Euros! O que dá 0,4% do que roubaram, e não está lá mais...

Os que o "compraram" exigiram mais 300 Milhões ..., senão, não "compravam"!

Ainda recebem todos os edifícios e respectivos recheios: Só a Sede estava avaliada em 80 Milhões.

Do pessoal existente o "comprador" vai escolher os mais baratos e devolverá, para quem "vendeu" os restantes, para serem indemnizados...

Mas já me garantiram, a Contabilidade está mesmo certa! Não falta lá um centavo!

Se desejarem, podem conferir, é assim:

"pega-se na primeira palavra deste texto, "BPN", depois ...apagam-se todas as outras ...até "Não falta lá um centavo!" e vão ver se esta não é a interpretação autêntica, e nem é da minha autoria...

AS PRIMEIRAS FRICÇÕES NA COLIGAÇÃO PSD/CDS

PSD 'exclui' Paulo Portas do Conselho de Estado

Os cinco membros do órgão de consulta do Presidente são eleitos na sexta-feira. Cabe a Passos Coelho decidir se Paulo Portas será indicado pelo PSD para o órgão de consulta de Cavaco Silva

A direcção do PSD debateu ontem os três nomes a indicar pelo partido para a lista de cinco novos membros do Conselho de Estado, que será votada na sexta-feira no Parlamento. E nenhum vice-presidente social-democrata pôs sobre a mesa a hipótese de Paulo Portas, o parceiro de coligação de Governo, vir a ser uma das figuras a considerar na quota do PSD.


No anterior Executivo PSD/CDS, liderado por Durão Barroso, o líder centrista teve lugar no órgão de consulta do então Presidente Jorge Sampaio.

Uma Espécie de "Solução Final"

O MINISTRO da Economia, Álvaro Santos Pereira, já encontrou o remédio para deixar sobreviver alguns dos apêndices do “estado social”. A solução passa pela institucionalização e credenciação da pobreza, com direito a passe social de outra cor (como os cartões de crédito com diferentes plafonds), com acesso a descontos e preços especiais no cabaz de compras de produtos essenciais, nos cuidados de saúde, medicamentos, educação, consumos de água, gás e electricidade, e porque não no preço da ida ao cinema ou ao jogo de futebol. Suspeito que para os casos mais extremos, está em estudo um passaporte para os bancos alimentares, a par de autorizações do ministro da Defesa para pernoitar nas casernas dos quartéis. Tudo isto porque os tempos são outros e já não se justifica, como há tempos atrás, para não haver confusões entre ricos e pobretanas, os carros usados importados, mesmo sendo topos de gama, levarem com a matrícula “K”, ou então, como no século passado - embora com outros e maléficos objectivos – ser vulgar haver quem andasse com uma estrela de David cozida na fatiota, amarela e bem visível, para marcar a diferença, à espera da “solução final”.
Entretanto, António José Seguro, exibindo aquela fisionomia de pessoa que sofre de prisão de ventre, indiferente à “guetização” em curso, anda a entoar-nos algumas canções de embalar, com letra da troika e música do bloco central. Diz ele que somos todos vítimas (menos uns quantos) das imposições que vieram lá de fora (pois claro!), que temos que dar as mãos, continuar a trabalhar e a descontar para os respeitáveis accionistas dos bancos, trauteando o “fui ao jardim da Celeste, giroflé-flé-flá”, cara alegre, olhar em frente, e vamos a isto que o que é preciso é ter fé, pois o mau tempo há-de passar.

ALGARVE - FARO - JARDIM DA ALAMEDA ESTÁ A CAIR EM DESMAZELO

 

A Alameda - o comentário

Este post é surreal no mínimo... é bom ter uma visão positiva das coisas, é certo, mas fazer das coisas o que elas não são também não vale a pena. Frequento a Alameda com frequência, com a minha filha, pois infelizmente é a única alternativa à menos de meia dúzia de parques infantis vandalizados e eternamente sem manutenção que existem em Faro. E garanto que não são as plantas oriundas de várias partes do mundo que se destacam. São os cabos eléctricos descarnados na zona do mini-golf, os pedais partidos ou inexistentes na zona da geriatria, os equipamentos partidos no parque infantil e o tanque tão sujo que quando as tartarugas estão lá dentro é impossível vê-las. Para além de que só é possível ir de sapatilhas, pois não há criança que aguente umas sandálias com a terra que escolheram para pavimentar o espaço todo. E é melhor não ter xixi, pois as casas de banho... Face a isto, a designação será certamente o que menos importa, pois a porcaria que lá está é a mesma.
anónimo



Faro - Jardim da Alameda João de Deus Photography Discussions

Posted by Bluesence
 
O Jardim da Alameda João de Deus é um dos poucos espaços verdes da cidade e um dos meus locais favoritos desde pequeno.




Faro - Jardim da Alameda João de Deus - Photography Discussions

Faro - Jardim da Alameda João de Deus - Photography Discussions

Faro - Jardim da Alameda João de Deus - Photography Discussions

Faro - Jardim da Alameda João de Deus - Photography Discussions

Faro - Jardim da Alameda João de Deus - Photography Discussions

Faro - Jardim da Alameda João de Deus - Photography Discussions

A entrada para a biblioteca (antiga fachada do matadouro de Faro)

Faro - Jardim da Alameda João de Deus - Photography Discussions

Faro - Jardim da Alameda João de Deus - Photography Discussions




fotos recolhidas na net por António Garrochinho







A Carta de Jornal



Chega a carta embrulhada em papel de jornal, não havia escritos no nome mas encontrou as minhas mãos. “Para mim? Não. Engano? Não sei” a humidade das mãos mancharam-se de preto das letras gravadas, marcam-se os dedos salientando as minhas impressões digitais “seja para quem for, agora já tem a minha marca, destinada a alguém desconhecida, saberá que passou pelas minhas mãos… e que importância isso tem… que importância isso tem…”. Sento-me no banco do jardim e desembrulho o papel pela ponta dos dedos, “porque o faço a medo?” Sinto o coração a bater mais forte, sinto a vontade de os olhos fechar antes de saber o que há ali por desvendar. Leio uma, leio duas, leio três vezes as palavras e as lágrimas de suor já não sabem no que acreditar, não sabem o que decifrar… palavras encantadas de um sonho para sempre em forma de corpo para todos os dias “alguém poderá viver-te todos os dias e nesses dias todos saberás que nunca mais serás igual aquela dança, aquela primeira e última dança que se guarda em nós, serás melhor ainda, serás real ainda, serás diferente, ainda que tudo passe, tudo mude, igual nunca mais se é para sempre”.

preciso - poemas ilustrados de António Garrochinho

triste - poemas ilustrados de António Garrochinho


Portimão: Festival da Sardinha com Dulce Pontes e Trovante na ementa musical


Nesta edição o Festival da Sardinha abre com de Dulce Pontes a 5 de agosto e encerra com os Trovante dia 15. Pelo meio, a gastronomia do mar alia-se ao artesanato e à animação de rua na zona ribeirinha da cidade. Confira o cartaz.  
 
Além dos 25 stands criados especificamente para o efeito, ao dispor dos visitantes vão estar sete restaurantes que se deslocam provisoriamente para o recinto, como o Dona Barca, e espaços dos clubes recreativos locais.
No setor do artesanato estão previstos de 55 espaços, com inúmeras propostas criativas.
A animação de rua conta com palhaços e atrações para as crianças, sem esquecer a participação de músicos locais, sempre a partir das 21h30.
Quanto ao cartaz musical , haverá ao longo dos 11 dias do festival concertos de Dulce Pontes, Virgem Suta, Áurea, Mickael Carreira, Susana Félix e os Trovante, cujo concerto - integrado na mini-digressão que estão a fazer pelo país - encerrará o Festival na noite de 15 de Agosto, que fecha com o espectáculo de fogo de artifício tradicional.
As entradas para esta iniciativa do Município de Portimão, cujas portas abrem das 18h00 às 24h00, custam 5 euros, havendo a novidade de ingressos de grupo para quatro pessoas a 16 euros, assim como a existência de um bilhete válido para os 11 dias do certame, ao preço unitário de 40 euros. A entrada é gratuita para crianças até aos 10 anos.
Patrocinam o 17º Festival da Sardinha de Portimão a Cerveja Sagres, a Seguradora Allianz e Delta Cafés, tendo como apoios o Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos (IPTM), o jornal Barlavento e a Rádio Alvor.
Programa do Festival da Sardinha
(os concertos realizam-se sempre às 21h30 e 22h30).
Dia 5- Dulce Pontes.
Dia 6 -The 70’s e Charanga Habanera.
Dia 7- Reflect + OMG e Perfume.
Dia 8- Ritmo Jovem e Virgem Suta.
Dia 9- Rodrigo Costa e Áurea.
Dia 10- Xico Barata e Quadrilha.
Dia 11- Deep:her e Amor Electro.
Dia 12- Edmundo Inácio com "Daddy Jack Band” e Mickael Carreira-
Dia 13-All That Blues e Susana Félix.
Dia 14 -A night with “The Beatles” e Oquestrada.
Dia 15-Trovante.


 observatório do Algarve

Verão na(s) Aldeia(s) - Algarve - Cultura - eventos


Verão na(s) Aldeia(s) - Algarve

A tradição ainda é o que era mas mostra muitos sinais exteriores de animação atualizada. Neste roteiro passa-se por Cacela, Moncarapacho, Cortelha (Loulé), Castro Marim, Aljezur e Vila do Bispo.    
Cacela a Velha escuta música erudita
O ciclo de concertos “Clássica em Cacela” regressa aos palcos da Ria Formosa com início a 5 de agosto, com Audrey Chen, uma artista experimental asiática-americana. Os seus instrumentos são o violoncelo, a voz e um sintetizador analógico.
Cada um dos 4 concertos do ciclo, que se prolonga até 25 de agosto, estará sob a influência do Oriente de um modo diferente e único.
Moncarapacho com provas de azeite, mel, flor de sal e vinho
O 26.º Festival Internacional de Folclore de Moncarapacho (Olhão), a 6 de agosto é um dos espetáculos da Feira de Arte, Artesanato, Agricultura e Recreio de Moncarapacho que tem outros concertos com a banda Six Irish Men (dia 4), Virgem Suta (dia 5), e Quim Barreiros (dia 7).
A Feira este ano conta com degustações de azeite, mel e flor de sal dão o mote ao certame que se realiza entre os dias 04 e 07 de agosto e onde está previsto também haver provas de vinhos.
Faro: Festa de Verão da Conceição
O XI Festival Nacional de Folclore decorre no sábado, 06 Agosto a partir das 20h30 na Casa do Povo da aldeia da Conceição nos arredores de Faro.
Atuam o Rancho Folclórico da Tocha, Rancho Folclórico Paço dos Negros (Almeirim), Rancho Folclórico Pampilhosa da Serra, Grupo Folclórico e Etnográfico da A.R.P.I., Rancho Folclórico Adulto Casa do Povo Conceição de Faro e ainda Diogo Correia.
Loulé com ‘ Manjares’ da serra do Caldeirão na Cortelha
Os “Manjares Serranos” voltam à Cortelha, aldeia do interior de Loulé, a 6 e 7 de agosto. Há baile serrano nos dois dias, e o VIII Festival de Folclore da Serra do Caldeirão que se internacionalizou. Aos ranchos algarvios juntam-se outros vindo do do Ribatejo, Estremadura e Minho, mas também da Turquia os Antakya Folk Dance Group que dança no primeiro dia dos Manjares.
As tasquinhas abrem sempre ao fim da tarde e o certame encerra no domingo com a atuação a partir das 20h30 do “Canta Andarilho”, grupo de música tradicional. A entrada é gratuita.
Castro Marim apresenta fado e flamenco
Em Castro Marim, os sons do fado, flamenco e folclore sobem ao palco no âmbito das "Noites de Revelim", que acontecem até dia 26 de agosto. O já tradicional Festival Medieval de Castro Marim está marcado para os dias 25 a 28 de agosto.
Monchique: Feira de São Romão no Alferce
A aldeia de Alferce, em plena serra de Monchique vive a 5, 6 e 7 Agosto, ao longo de todo o dia, as tradicionais festas de São Romão. A par da animação tem lugar a feira anual, uma boa oportunidade para comprar aguardente de medronho e enchidos artesanais de porco preto.
Aljezur e Vila do Bispo animam-se com os ritmos da Kumpania Algazarra
A lembrar os desfiles de bombos, os Kumpania Algazarra vão contagiar com ritmos balcânicos as ruas de Aljezur (15 agosto), Odeceixe (16 agosto) e Sagres (17 agosto), a partir das 21:30. A entrada é livre.

observatório do Algarve

 

Eu não rezo antes de dormir. Eu escrevo.


a brisa
que alivie
o que não sei explicar.

Preciso educar
os meus sentidos
com a insônia.

Eu quero dormir
de olhos abertos.
Tocar o céu incerto
sem este aperto
no peito.

Justifico a dor
quando deito.
Porque sonhar
é pouco.

Quero deitar
no colo da manhã
e ter a certeza
que apenas eu
anoiteço.

Hoje eu esqueço
e amanhã alguém esquece
que o sono só serve para nos aproximar da morte.



Ígor Andrade
blog Fuga do intelecto

Busco no dia
Tempo de espera nos Serviços de Urgência lidera a lista de insatisfações

É no Algarve que a Saúde suscita mais queixas

 Por Andreia Sanches

Quase metade das reclamações apresentadas nas unidades de saúde tem como alvo os médicos e cerca de 20 por cento o pessoal dirigente intermédio. O Algarve é a região do país onde há mais reclamações por cada mil actos médicos e de enfermagem (1,14). E a Região Centro a que regista menos (0,20 por cada mil actos). O tempo de espera nos Serviços de Urgência lidera a lista das razões para a insatisfação dos utentes.
O Algarve é a região do país onde há mais reclamações por cada mil actos médicos O Algarve é a região do país onde há mais reclamações por cada mil actos médicos 
O Relatório 2010 Sistema SIM-Cidadão hoje divulgado começa por mostrar que houve, em 2010, 49.600 exposições, das quais 45.679 reclamações, 2691 elogios e 1230 sugestões. O que significa um decréscimo de quase cinco por cento nas queixas.

Sistema SIM foi desenhado para permitir ao cidadão a apresentação das suas exposições em qualquer entidade prestadora de cuidados do Serviço Nacional de Saúde. A ideia é que ninguém fique sem resposta. Mas o relatório sublinha que “o volume de exposições respondidas tardiamente, ou mesmo não respondidas, atingiu valores preocupantes”, o que obriga “à tomada urgente de medidas correctivas por parte das entidades visadas”.

De acordo com a lei, as entidades visadas nas exposições dos utentes têm de responder em 15 dias a quem reclama, estando ressalvada a possibilidade de, em situações mais complexas, estes prazos poderem ser alargados. Feitas as contas, o Observatório Nacional do Sistema SIM concluiu que a média nacional do tempo de resposta às reclamações é de 67 dias. Mas “observou-se no agrupamento de centros de saúde D. Lafões II (distrito de Viseu) um valor de 180 dias, no Hospital Central Especializado de Crianças Maria Pia (Porto) 173 dias e na unidade local de saúde do Baixo Alentejo (Beja), 142 dias”.

Os serviços de Medicina Geral e Familiar dos agrupamentos de centros de saúde e os Serviços de Urgência são os principais visados (32 por cento e 18 por cento, respectivamente). E os tempos de espera continuam a ser os problemas mais mencionados nas exposições, apesar de ter havido uma diminuição. Já a “falta de cortesia” e “a recusa de consulta” ganharam peso.

O agrupamento de centros de saúde com mais reclamações por cada mil actos médicos é o Lezíria II (distrito de Santarém) e o Pinhal Litoral I (distrito de Leiria) o que tem menos. Na categoria Unidades Hospitalares, o Hospital Garcia de Orta, em Almada, é o pior colocado e o Dr. Francisco Zagalo, de Ovar, o que tem menos queixAS.

P ublico

A realidade, as ilusões e os sofismas

1) Quando afirmámos que a Itália e a Espanha estavam já a disputar qual dos dois primeiro entrava na chamada zona das tempestades da especulação disseram-nos que estes países estavam a salvo.! Foi o que se viu. Quando afirmámos que as medidas tomadas na última Cimeira não punham fim à especulação em relação à Grécia, nem em relação à Italia nem à Espanha, disseram-nos que não....Os acontecimentos destes últimos dias aí estão a mostrar que a situação destes dois países começa cada vez mais a parecer-se com a de Portugal e da Grécia.Na quinta feira a Espanha vai colocar nos mercados mais dívida. Veremos a que taxa de juro. O ministro da economia Italiano vai reunir-se com o presidente do Eurogrupo. Zapatero regressou de férias.! ...
O Fundo Europeu de Estabilidade Financeira só entrara em vigor lá para Outubro e duvida-se se terá capacidade para acudir a estes países ...
2)O ministro da economia,um grande defensor dos transportes públicos segundo disse,procurou justificar os brutais aumentos dos transportes ,dizendo com toda a candura que não podemos passar para os nossos filhos os custos dos défices actuais...
A primeira questão a colocar é se isso é só valido para os transportes. Para a banca , para o BPN , para o BPP tal argumento já não se aplica?...Com a diferença ainda, de que os transportes prestam um serviço público que em toda a parte tem um custo.
Poderia o sr Ministro dizer-nos quais foram os prejuízos dos accionistas destes dois bancos? E a quanto vai montar a factura aos contribuintes portugueses?