AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


segunda-feira, 25 de julho de 2011

SOCIEDADE DO "CUNHACIMENTO"

Impressiona a leitura do artigo do Correio da Manhã sobre a quantidade de políticos, ex-políticos, filhos e parentes que estão hoje alojados nos quadros da PT-Portugal Telecom. Um autêntico viveiro !!!
E faz ainda mais impressão pensar que a amostra é apenas o resultado de uma investigação superficial; mais se aprofundasse e muito mais se encontraria.
E o pior é se nos lembrarmos que esta não é a única bolsa de empregos da nomenklatura do regime; fosse feito o mesmo exercício na CGD e
noutras prateleiras douradas e o resultado seria estarrecedor.
Não obstante esta relativização, veja-se o que o jornal encontrou na breve busca.

Fazem parte dos QUADROS da PT os filhos/as de:
- Teixeira dos Santos.
- António Guterres.
- Jorge Sampaio.
- Marcelo Rebelo de Sousa.
- Edite Estrela.
- Jorge Jardim Gonçalves.
- Otelo Saraiva de Carvalho.
- Irmão de Pedro Santana Lopes.

Estão também nos quadros da empresa, ou da subsidiária TMN:
- João de Deus Pinheiro.
- Briosa e Gala.
- Jaime Gama.
- José Lamego.
- Luis Todo Bom.
- Álvaro Amaro.
- Manuel Frexes.
- Isabel Damasceno.

Para efeitos de "pareceres jurídicos" a PT recorre habitualmente aos serviços de:
- Freitas do Amaral.
- Vasco Vieira de Almeida.
- Galvão Telles.

Assim não há lugar para os colegas da faculdade destes meninos, que terminaram os cursos com média superior e muitos estão ou a aguardar o primeiro emprego, ou no desemprego, ou a trabalhar numa área diferente da sua licenciatura.

É ou não uma PERFEITA DEMONSTRAÇÃO DA SOCIEDADE DO CUNHACIMENTO ?
Com cordiais saudações

CAMINHAREMOS DE OLHOS DESLUMBRADOS - JOSÉ CARLOS ARY DOS SANTOS



amena praia


vou-te visitar nas marés
vou entrar no teu olhar
tocar-te
saber quem és
conhecer o teu mar
nos teus cabelos , buzios, caracóis
os lábios
anzóis
basta tua uma palavra
que ordenes ao meu coração
e todos os ventos obedecerão
á calmaria
e nas ondas de espuma cambraia
seremos amena praia
maresia

António Garrochinho

Banqueiros unem-se: Estado tem de pagar o que deve

 

Banqueiros unem-se: Estado tem de pagar o que deve

Já governador do Banco de Portugal quer que banca venda activos e aumente depósitos para melhor financiamento

Reunidos na mesma sala, no hotel Sheraton em Lisboa, os responsáveis de alguns dos principais bancos nacionais uniram vozes para pedir ao Estado que pague as suas dívidas.

«Se o Estado pagasse às empresas públicas, autarquias e às regiões aquilo que lhes deve e, se por sua vez, essas empresas públicas autarquias e regiões pagassem o que devem, ficava liberta uma quantidade muito grande de meios que permitiriam financiar a economia», disse o presidente executivo do Millennium bcp, Santos Ferreira, durante o IX Fórum Banca & Mercado de Capitais.

Uma ideia partilhada por Ricardo Salgado para quem bancos encontram-se, actualmente, em dificuldades, em resultado «do endividamento do Estado, o que se reflecte nos bancos».

A banca «ainda não viu o programa de reembolso dos pagamentos do Estado aos bancos», que ficou estabelecido no memorando de entendimento com a troika, reclamou o presidente do BES.

E, se para o presidente executivo do BPI, Fernando Ulrich, os níveis de capital exigidos no programa da troika são demasiado elevados, opinião contrária tem o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, para quem os bancos têm de diversificar as suas fontes de financiamento para aumentar a desalavancagem.

planície do silêncio - poemas ilustrados de António Garrochinho