AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


domingo, 24 de julho de 2011

 

Leis laborais: trabalhadores tornam-se «material descartável»

Parlamento discute pacote de alterações ao mercado de trabalho


O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, lamentou este domingo que as alterações às leis laborais tenham como objectivo deixar «todos os trabalhadores em situação de precariedade» para que possam ser tratados como «material descartável».

«Com uma urgência desmedida e atropelando prazos previstos na lei sobre a discussão pública», foi marcado para dia 28 o debate na generalidade do pacote de alterações às leis laborais, criticou Jerónimo de Sousa, citado pela Lusa, na sua intervenção em Águeda.

«Dando seguimento às propostas do anterior Governo do PS, não perderam tempo para prosseguir a sanha persecutória e revanchista contra os trabalhadores portugueses».

O líder comunista considerou que, ao reduzir de 30 para 20 dias por ano de trabalho o valor da indemnização por despedimento e ao limitar a 12 meses o valor máximo da mesma, o que se pretende é «criar as condições para os despedimentos mais fáceis e mais baratos».

Neste âmbito, critica o que diz ser o «primeiro passo desse diabólico plano da troika da ingerência e dos partidos da submissão, que acordaram ainda no seu sinistro memorando o alargamento das possibilidades de despedimento por justa causa, a flexibilização do horário de trabalho por via do banco de horas, a redução do valor pago pelas horas extraordinárias e o ataque à contratação colectiva e ao papel dos sindicatos na negociação», entre outras medidas.

«Com estas alterações às leis laborais, o Governo e os partidos da troika pretendem pôr todos os trabalhadores em situação de precariedade, para os tratarem como material descartável e continuarem a escalada de redução das suas remunerações, como o evidencia o número de trabalhadores com o salário mínimo, que duplicou nos anos de Governo do PS», sublinhou Jerónimo de Sousa.

Na sua opinião, desta forma «não resolvem nem o problema da dívida, nem do défice, nem nenhum dos problemas nacionais», apenas conseguindo «o aumento da exploração dos trabalhadores».

... o dia em queTrotski foi confundido com a marca de UM creme hidratante

desisti - poemas ilustrados de António Garrrochinho - sabes amor...

sabes amor
desde que te conheci
deixei de procurar palavras dentro de mim
palavras de paixão arrancadas deste peito por fim calmo
vejo o esvoaçar ébrio das borboletas
e falo com elas em silêncio
digo-lhes
que o poema , és tu !

Meu caro RMG

Já que perguntou, eu respondo…
Em verdade lhe digo – a realidade assim o atesta: não servem os Portas, não servem os Coelhos e não servem os Seguros, como não serviram os Soares, os Pintos, os Nobres, os Carneiros, os Freitas, os Balsemões, os Silvas, os Barrosos, os Santanas, os Guterres, os Sócrates!..
Serviriam os Jerónimos e os Louçãs?..
Francamente não sei. Em verdade lhe digo – a realidade assim o atesta: não sei eu e não sabem os portugueses, pois a prova não está feita.
Aquilo que eu sei é que nas últimas eleições decidi tornar-me um cidadão responsável: fui ler os programas eleitorais de todos os partidos políticos.
Para que conste: não me considero particularmente informado em questões políticas.
É verdade que sempre votei. No entanto, a minha ignorância das ideologias é escandalosa.
Imagine só, a título de exemplo: até há relativamente pouco tempo confundia o BE (Bloco de Esquerda) com outro BE (Banco de España). Mais grave ainda: baralhava o PCP com o BCP.
Como vê, uma vergonha, uma desgraça, uma calamidade esta minha ignorância ideológica!..
Hoje, porém, embora continue  uma pessoa pouco confiante, sinto-me   mais optimista...
Foi preciso chegar aos 57 anos, para me sentir algo optimista em relação ao futuro de Portugal e dos portugueses!..
Foi fácil. Bastou-me ter lido  os programas dos partidos  que concorreram às eleições do passado dia 5 de Junho…
Todos eles nos garantiam que seremos felizes para sempre, que o paraíso terrestre estava  à distância de uma pequena cruz no boletim de voto. Consultar os manifestos eleitorais foi  quase como esfregar a lâmpada de Aladino: “eu sou o vosso servidor. Pede o que desejas!..”
Aumentar as receitas fiscais, sanear as contas públicas, reduzir o IRS, acabar com a evasão e a fraude fiscais, aumentar o investimento nas tecnologias, na investigação científica e no desenvolvimento sustentável, fazer crescer as exportações e o investimento estrangeiro, diminuir os custos da justiça, desburocratizar a administração pública, reduzir a sinistralidade, internacionalizar a cultura portuguesa, modernizar os museus, reduzir ao mínimo o desmprego… Eu sei lá que mais?..
Portugal, com gente assim só pode vir a ser um país de sucesso, como aliás estamos a verificar com a governação Coelho/Portas!..
A título de informação, sempre lhe digo que li quase um milhar de páginas, pois além dos programas dos partidos do arco do poder (PSD, CDS e PS), li também todos os outros (B.E-Bloco de Esquerda, PCP-PEV – CDU - Coligação Democrática Unitária, MEP – Movimento Esperança Portugal, MPT – Partido da Terra, PAN – Partido pelos Animais e pela Natureza, PCTP/MRPP – Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses, PDA – Partido Democrático do Atlântico, P.H. – Partido Humanista, PND – Nova Democracia, P.N.R. – Partido Nacional Renovador, POUS – Partido Operário de Unidade Socialista, PPM – Partido Popular Monárquico, PPV – Portugal pro Vida, PTP – Partido Trabalhista Português)!..
Toda esta trabalheira para cumprir a Constituição: tratar com igualdade as diversas candidaturas ao acto eleitoral de 5 de Junho de 2011.
Meu caro RMG:  pode dizer o mesmo?..
Mas, valeu a pena. Foi uma leitura estimulante e épica.
Como vê, meu caro RMG, sei o que o não quero – pois a realidade assim o atesta.
Falta-me saber o que quero… Quando a realidade o atestar falaremos.
Entretanto, cumprimentos
António Agostinho

 

Os reis do All…garve

Com a lava fervente sob os nossos pés e as agulhas dos sismógrafos a darem sinais de orientação de fatalidade, a ordem político-partidária institucionalizada do país, durante quase três anos, concertou-se sob a ocultação, o medo da reacção social sobre a culpa e o pedido externo de socorro.


Com um novo Governo PSD/CDS e a muleta parlamentar do PS em gestão sobre escombros financeiros do Estado, por ordem externa, todos os dias vamos conhecendo as medidas recessivas para a economia e a vida dos portugueses, a par dos rebentamentos dos vários sectores da estrutura empresarial, pública ou privada, atolada em dívidas aterradoras.

No Algarve, uma das proeminências da gestão turística de vacas gordas, grande impunidade e com o Sol a gerar lucros extraordinários e sem preocupações com a planificação futura, o senhor André Jordan deu o alerta sobre a insalubridade e os perigos de ruína do sector em companhia do imobiliário, cujo montante conjunto de dívidas ascende a 50 mil milhões e supera a metade do empréstimo contratado com o FMI/BCE/EU.

Debaixo do véu diáfano do Estado e da sua gestão política, foi um fartar de aproveitamento de todo o tipo de instrumentos (leis, PIN, créditos baratos, subsídios, flexibilidade nos incumprimentos e mão-de-obra importada e barata), fazendo concentrar toda a atenção sobre a actividade turística em detrimento de todos os outros sectores, satisfazendo até as metas de uma União Europeia para a destruição das pescas, agricultura e indústrias de sustentação regional.

A oportunidade do anúncio que representa o nó górdio involuntário da Banca sobre o derramamento de dinheiro, tem o sentido de reclamar mais atenções e as indispensáveis facilidades para o gozo do pagamento conforme disponibilidades (?!), salvaguardando os patrimónios pessoais e empresariais. É a continuação do reinado, agora debaixo da ameaça do caos dos despedimentos, salários em atraso ou encerramentos fraudulentos.

Com o ano turístico praticamente perdido, não é por acaso este aviso no inicio da consignada “época alta”. As tesourarias que normalmente recorrem à Banca, preparam já os efeitos devastadores da quebra da procura e das receitas. Nem a baixa generalizada de preços alterou o curso dos acontecimentos, estando as consequências aprazadas para Outubro e seguintes.

Se a chantagem deste sector do capital não for ouvida, como tudo indica na situação política e financeira do país que vive de “esmolas” bem caras, os problemas com que nos debatemos conhecerão um agravamento insustentável e de repúdio social.

Os sindicatos e as organizações dos trabalhadores conhecem a degradação e os seus ensaios terão de ir para além dos apelos e dos memorandos reivindicativos. Este Governo e os próprios empresários do sector sabem que a gravidade do momento vai determinar os piores cenários… para o lado dos trabalhadores e das famílias.

Com o serviço público prestado em degenerescência acentuada, da Saúde e assistência ao Ensino e transportes, com o custo de vida e os impostos em escalada sobre os salários e as reformas, as populações do país e da região estão encurraladas entre aceitar custos que não contraíram e lutar por um Governo e uma política democrática ao serviço do desenvolvimento colectivo.

Os reis do All… garve, Jordan e Cª e os políticos que com eles voaram e os serviram, têm as mãos mergulhadas no sofrimento e falta de rumo da região, como se contradizem na opacidade e na publicada angústia das suas responsabilidades…

Os 50 mil milhões de buracos e outros que se vêm revelando, não são para levar a sério porque o Governo da República já tem planos para quem os deve pagar!


Luis Alexandre
A defesa de Faro

ROTEIRO TURÍSTICO DE OLHÃO - TUDO EM VÍDEO, O LIXO, O DESMAZELO.


 

ROTEIRO RIBEIRINHO DE OLHÃO









Qualquer cartaz turístico de Olhão mandado executar pela Câmara Municipal de Olhão, não deixará de reflectir as imagens agora divulgadas, por fazerem parte do quotidiano dos olhanenses, infelizmente.
No primeiro caso. Trata-se de uns pequenos contentores para triagem, no Jardim Pescador Olhanense junto à bica, que como não podia deixar de ser, estão cheios a abarrotar. Todo o mundo vê, menos a pandilha de ratos instalada na gestão autárquica.
Ainda no Jardim Pescador Olhanense um conjunto de papeleiras cheias porque não há ninguém para as vazar. É fim de semana e o local muito frequentado, apesar da presença do lixo que a Câmara lhes impõe.
Temos ainda imagens que são o pão nosso de cada dia, que são as roturas e a perda de agua. É por estas e outras que a Ambiolhão vem entrar nos bolsos dos munícipes. O desperdício de agua, neste caso é na estação elevatória junto aos mercados, mas bem podia ser em qualquer edifício camarário, porque muitos deles nem contador têm.
Ali, junto aos mercados, são visíveis os contentores da reciclagem, transformados em urinóis públicos a partir das 24 horas por encerramento das casas de banho dos mercados. Não havendo alternativo e em caso de aperto, mesmo ali vai. Uma regazinha.
Na frente de mar, e desta vez não apresentamos imagens, estão as tocas de Lealix, Pinix, Chalanix, Camachix, as famílias de ratos que provocam a animação e o delírio dos frequentadores dos bares da zona. Os outros ratos, de duas patas, que estão na Câmara, esquecem-se o quão perigoso pode ser os seus “primos” de quatro patas urinarem em cima dos produtos alimentares expostos no mercado da fruta, para alem do prejuízo que causam e que a Mercados de Olhão não assume.
Já no canto do Jardim Patrão Joaquim Lopes temos os fedorentos moloks, mais os contentores da reciclagem, cheios há cerca de quatro semanas. Se a Algar, empresa que detem o contrato de recolha destes resíduos mas não o cumpre, a CMO devia ameaçar com a rescisão contratual. Ou será que a CMO também deve dinheiro à Algar?
Avançando por este Jardim(?) encontramos um busto que não conseguimos identificar, acompanhado por uma estrutura em betão, que devido às semelhanças pensei tratar-se de um monumento ao nariz do presidente da Câmara. Fazendo fé nisso o busto também poderia ser dele, só que em lugar de medalhas, ostenta tantas nódoas quantos processos crime tem para descalçar.
Logo ali, ao lado, está a piscina dos patinhos, com agua própria para os gestores autárquicos se banharem, uma vez que gastaram uma pequena fortuna nas obras que fizeram.
E ainda sobrou tempo para vermos a sucata do GNO.
Com uma frente de mar destas que mais precisamos para cativar nacionais e estrangeiros?

SEMANADA - PASSOS COELHO, ASSIS, CGD, E MACÁRIO CORREIA



Domingo, Julho 24, 2011


Semanada

Parece que Passos Coelho ficou tão indignado com eventuais fugas de informação da secreta que nem reparou que essas fugas foram atribuídas a agentes que se passaram para a Ongoing e diziam respeito a Bernardo Bairrão. Se não fosse ter sido dominado por tanta indignação teria reparado que a fuga atribuída à secreta parecia dizer respeito aos supostos negócios de Bairrão para os quais Manuela Moura Gudes o terá alertado por sms.

Quem também deverá estar muito indignado é Francisco Assis, derrotado nas directas para a eleição do secretário-geral do PS deverá estar agora a fazer contas se a colossal fraude que a sua candidatura denunciou. Foi derrotado e com truques destes apenas ajudou a desprestigiar o seu partido mais um pouco e a fragiliza-lo num momento em que é urgente que assuma a liderança da oposição. O país precisa de uma oposição robusta, como diria o Gaspar, e não da oposição mole que tem sido feita por Maria de Belém.

Passos Coelho já começou a sua revolução nos cargos e para cortar gorduras começou por mudar a administração da CGD um dos petiscos reservados aos boys mais importantes. Aumento significativamente os lugares mas fez o milagre dos pãezinhos e garante-nos que vai gastar o mesmo, isto é, a multiplicação dos cargos foi um gesto de solidariedade entre boys, o dinheiro é tanto que dá para dividir por mais uns quantos. Agora resta esperar que a CGD seja transformada em associação mutualista laranja. Para a história fica um saneamento colectivo, o PS que tinha escolhido um presidente do PSD e mantido um ex-secretário de Estado das Finanças de Manuela Ferreira Leite viu todos os seus simpatizantes serem saneados.

Cercado pelas forças do Gaspar que o sitiaram em Faro o autarca local, Macário Correia, um verdadeiro Kadhafi na forma como defendia as borlas na Via do Infante mudou de ideias de um momento para o outro, agora é a favor das portagens. Este senhor devia ter vergonha e ficar calado, quando era autarca em Tavira os camiões da autarquia usavam o dinheiro dos contribuintes para comprar combustível em Ayamonte e ainda eram os mesmos contribuintes a pagar as respectivas taxas das Scut. Senhores como estes deviam ser ignorados pelos partidos e pela comunicação social, o país ficaria mais saudável e só prejudicariam os eleitores que ainda aceitam o caciquismo.

Portugal está a ficar pequeno demais para a vontade de ajudar de Cavaco Silva, impossibilitado de criar uma ONG ou de se juntar a Fernando Nobre na AMI o presidente que temos decidiu ignorar os limites do seu cargo e as competências das instituições europeias e fez mais uma das suas manifestações de provincianismo ao sugerir uma desvalorização do Euro. O antigo grande defensor dos mercados ignorou que as taxas de câmbio não são fixadas administrativamente e muito menos pelo Conselho, parece que aquele que se auto designou como um mísero professor tinha mesmo razão ao explicar que não percebeu como ganhou tanto dinheiro em acções cujos preços de venda e de compra foram fixados por Oliveira e Costa, pelos vistos ficou mesmo convencido das vantagens do método e imaginou que se fosse o mesmo Oliveira e Costa a fixar as taxas de câmbio do euro a Europa resolvia todos os seus problemas
O jumento

Mota Amaral recebe de prenda de verão um Gabinete e um BMW…

Afinal só mudaram mesmo as moscas……
A presidente do Parlamento, Assunção Esteves, atribuiu um gabinete e uma viatura BMW ao ex-presidente da Assembleia da República Mota Amaral.
“in Correio da Manhã”
Tomei conhecimento desta notícia, ao lado de um amigo que desta vez votou PSD. Nada mais elucidativo que transcrever as suas palavras: “Filhos da pu….a”, já me enganaram outra vez! Não bastou a porcaria do Nobre com a “mer…a” da cidadania dele! Agora votei e acreditei nesta cambada de “cabr…es” e afinal nada mudou! Descontei para o estado durante 43 anos, deram-me uma reforma de “mer…a” e agora ainda tenho que sustentar as mordomias destes“Filhos da pu….a”!
- A revolta era tão grande que nem me atrevi a dizer nada.....
Sinto um nojo enorme desta “gentalha”. Retira-se aos pobres, para dar aos ricos. Falta de vergonha e de moral. É para isto que vou pagar o tal imposto”ordinário”e que me pedem sacrifícios desmedidos?
Prometeram que iam baixar o défice sem aumentar impostos, afinal os impostos aumentaram e a despesa pelo que se está a ver vai aumentar e muito! Qual será o fundamento para a atribuição de gabinete e viatura topo de gama com motorista privativo a Mota Amaral?
Este sentido de injustiça desmoraliza-me completamente. Mordomias e mais mordomias, afinal só mudaram mesmo as moscas.
Faria de Oliveira passa a chairman do banco

José de Matos assume liderança da CGD


José de Matos será designado presidente da comissão executiva da Caixa Geral de Depósitos (CGD) na segunda-feira, assumindo funções como CEO do banco público. O actual presidente executivo do banco, Fernando Faria de Oliveira, foi reconduzido no cargo até 2013, mas passa chairman da instituição.
<p>Faria de Oliveira presidia à Caixa desde 2008</p> Faria de Oliveira presidia à Caixa desde 2008
 (Gonçalo Português)
Para número dois do conselho de administração entra o economista António Nogueira Leite, sucedendo a Francisco Bandeira, que deixa a vice-presidência da CGD.

José de Matos, até agora vice-governador do Banco de Portugal (BdP), vai ser presidente da comissão executiva do banco e, ao mesmo tempo, vice-presidente do conselho de administração. Na prática, segundo o novo modelo de gestão da CGD, a liderança do banco fica concentrada em si, passando Faria de Oliveira a chairman.

A composição do novo conselho de administração, decidida ontem na assembleia-geral do banco, elegeu, para além de Nogueira Leite, mais oito vogais.

Para o órgão entram Pedro Rebelo de Sousa, Nuno Thomaz, Eduardo Paz Ferreira e Álvaro Nascimento e mantêm-se Norberto Rosa, Jorge Tomé, Rodolfo Lavrador e Pedro Cardoso. Da anterior gestão saem José Fernando de Araújo e Silva, que estava nomeadamente com os pelouros da gestão de imóveis, seguros e crédito especializado, e Francisco Bandeira, que presidia também ao Banco Português de Negócios (BPN).

José de Matos era quadro do Banco de Portugal desde os 26 anos. Licenciou-se em Economia no Instituto Superior de Economia da Universidade Técnica de Lisboa e desempenhou funções como docente no ISE, no ISCTE e no ISEGI/UNL.

No supervisor bancário, desempenhou funções técnicas e de coordenação no departamento de Estatística e Estudos, que liderou entre 1992 e 1994, anos em que foi também chefe do gabinete do governador.

Chegou à vice-presidência do BdP depois de ter passado por várias outras funções no interior da instituição – foi indicado como segundo substituto do governador no Instituto Monetário Europeu e no BCE, entre 1995 e 2002.

O antigo secretário de Estado do Tesouro e das Finanças do governo, António Nogueira Leite, é actualmente conselheiro do PSD e administrador do grupo José de Mello Investimentos.

SE REALMENTE FOI ESTE HOMEM... QUEM CRIA ESTES LOUCOS, QUE SOCIEDADE, QUE MUNDO É ESTE ! -Anders Behring Breivik, alegado autor dos atentados em Oslo e na ilha de Utoya que fizeram pelo menos 92 mortos, tinha publicado um vídeo no Youtube onde admitia a crueldade dos seus actos, mas justificava que os mesmos eram «necessários».

Anders Behring Breivik, autor confesso dos atentados (foto D.R.)
Suspeito de duplo atentado diz que ataques eram necessários


Anders Behring Breivik, alegado autor dos atentados em Oslo e na ilha de Utoya que fizeram pelo menos 92 mortos, tinha publicado um vídeo no Youtube onde admitia a crueldade dos seus actos, mas justificava que os mesmos eram «necessários».

Este facto avançado no vídeo – que entretanto já foi retirado da internet -, também já foi comunicado pela polícia norueguesa, que informou a confissão dos crimes por parte de Anders Behring Breivik, dizendo que o suspeito admitiu ter feito tudo sozinho.

O detido publicou um documento na internet para justificar os ataques, alegando o «uso do terrorismo como um meio de despertar as massas». O documento de 1500 páginas revela que Anders Behring Breivik preparava a sua operação desde 2009 e que aspirava a ser o «maior monstro desde a II Guerra Mundial», um herói nos meios neo-fascistas e anti-islamistas europeus.
12:11 - 24-07-2011
Imprimir esta notícia

António José Seguro eleito secretário-geral do PS

António José Seguro eleito secretário-geral do PS


Antonio José Seguro foi eleito secretario geral do PS. De acordo com o escrutinio ja apurado, quando falta pouco mais de uma hora para o encerramento das urnas.
Seguro foi a escolha maioritaria dos socialistas para suceder a José Socrates. Ao que apurou o Expresso, Seguro obteve cerca de 70% dos votos dos militantes socialistas contra 30% que preferiram Francisco Assis.

D'SUL

Morreu Amy Winehouse [1983-2011] | Vídeo

Amy Winehouse [1983-2011]

A cantora britânica Amy Winehouse foi hoje, aos 27 anos de idade, encontrada morta na sua casa em Londres.
Dona de uma potente e invejável voz, Amy Winehouse ascendeu ao estrelato, em 2006, com o álbum "Back to Black".  Conseguiu entrar no Guinness ao tornar-se a cantora a ganhar mais prémios numa única cerimónia dos Grammy's, em 2008.
Apesar de um futuro que poderia ser brilhante, Amy Winehouse, que chegou tantas vezes aos Tops Internacionais, esteve várias vezes internada em clínicas de reabilitação devido a excesso de álcool e problemas associados com drogas, tendo desiludido muitos dos seus fãs por causa de más prestações em palco, pois era visível o estado de intoxicação com que actuava e as suas péssimas prestações.
Foi muito avisada pelos médicos do risco de vida que corria.
Deixo dois vídeos com uma única canção que, para mim, é a mais problemática dela, pois a canção fala da necessidade de ela ir para clínica de reabilitação e não querer ir...

Era uma canção que eu ouvia no carro com o meu filho, quando eu ainda trabalhava e, às vezes, apanhava boleia dele. E sempre que ouvia esta canção, eu sentia que a cantora se ia dar mal... Muito mal! O meu filho ria-se de mim.
Foi uma pena Amy Winehouse não ter ido para a reabilitação... As vezes que tivessem sido necessárias!
Muito jovem para se morrer vítima de uma vida de desespero, de álcool e de drogas!
JOÃO

Amy Winehouse - Rehab

Carregado por em 23 de Dez de 2009

Music video by Amy Winehouse performing Rehab.
YouTube view counts pre-VEVO: 3,993,824. (C) 2006 Universal Island Records Ltd. A Universal Music Company.

Amy Winehouse Rehab (tradução)
- ao vivo em Londres -

Carregado por em 1 de Abr de 2008

Legendas em português para Rehab, ao vivo em Londres

Domingo, 24 de Julho de 2011

Fernando Tordo e Amy Winehouse | Vídeos de Homenagem de Fernando Tordo a Amy Winehouse

Amy Winehouse [1983/2011]



Fernando Tordo escreveu no Facebook, há 6 horas, portanto ontem, Sábado, no dia em que Amy Winehouse apareceu morta:
«Triste, muito triste. E se não fosse a idade que me traz pacificação, estaria danado com quem deixou a Amy Winehouse mais uma vez sozinha; desta vez foi fatal, o fim. Acabou-se a droga, o álcool; mas pior do que tudo foi ter acabado uma originalidade, uma força tão frágil e tão bela. Dediquei-lhe uma canção -" Amy " - gravada há mais de um ano e que faz parte do meu próximo álbum, "Por este andar", com arranjo do Pedro Duarte. Não me ouviu; a Amy não ouviu um tipo insignificante, que a admirava muito e que sabia que ela só tinha dois caminhos. Hoje, ela escolheu um deles. ftordo»
Eu comentei:
Maria João Baptista Silva Fernando Tordo, toda a admiração que sente pela Amy Winehouse eu sinto por si. Por isso não gosto que se apelide de "tipo insignificante".
Acredito que esteja revoltado.
Hoje é um dia de muita revolta. Eu estou tão revoltada pelo "tipo insignificante" que matou, pelo menos, 92 pessoas na Noruega...
Também sinto revolta por uma jovem brilhante que perdeu a vida que levou em desespero ao ponto de arriscar tudo para acabar com essa vida.
Abraço
JOÃO

Agora vou deixar 2 vídeos de Fernando Tordo a cantar a mesma canção sobre Amy Winehouse. Espero gostem como eu gostei.
Mostra a imensa sensibilidade que Fernando Tordo tem e a extraordinária admiração que tinha pela artista agora desaparecida.
JOÃO
Amy (Winehouse)
Carregado por em 16 de Jul de 2010
Música e Letra de Fernando Tordo. Arranjos de Pedro Duarte
Fernando Tordo canta "Amy (Winehouse)"
Carregado por em 23 de Jul de 2010
Fernando Tordo canta "Amy (Winehouse)"em A de Autor
RTP2 | 22 Jul 2010

O texto da canção é a vida de Amy Winehouse que foi, no início da sua carreira, uma cantora extraordinária.
Dona de uma potente e invejável voz, Amy Winehouse ascendeu ao estrelato, em 2006, com o álbum "Back to Black". Conseguiu entrar no Guinness ao tornar-se a cantora a ganhar mais prémios numa única cerimónia dos Grammy's, em 2008.
Apesar de um futuro que poderia ser brilhante, Amy Winehouse, que chegou tantas vezes aos Tops Internacionais, esteve várias vezes internada em clínicas de reabilitação devido a excesso de álcool e problemas associados com drogas, tendo desiludido muitos dos seus fãs por causa de más prestações em palco, pois era visível o estado de intoxicação com que actuava e as suas péssimas prestações.
É esta realidade que está na letra de Fernando Tordo. A dor de não a poder ajudar. A sensação de impotência de sentir uma jovem tão talentosa, no seu desespero, dar cabo da sua vida sem conseguir uma ajuda ou a força que deveria vir de dentro de si mesma para se salvar.
Ela estava avisada, pelos médicos, que o fim seria este se ela não se reabilitasse.
JOÃO