AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


domingo, 3 de julho de 2011


A Verdade Sobre Passos Coelho

Temos sido fraudulentamente enganados pelos labregos que promovem os espectáculos nojentos das campanhas eleitorais na televisão. No entanto, alguns jornais e blogs, de evidente menor cobertura têm-se ocupado em saber a verdade e dá-la a conhecer. Os tribunais, ainda que como caracois, também não têm parado.

Conhecendo os factos, devemos constatar que se trata dum criminoso no sentido judicial do termo. Em consequência, o procedimento desses jornaleiros é também obrigatoriamente criminoso por nos estarem a empurrar para eleger um criminoso.

Nesta transcrição estão acumulados três artigos recentes publicados no blog O Verdadeiro Lápis Azul com o mesmo título do presente.


Todos os candidatos destas eleições viram a sua vida escrutinada ao mais ínfimo pormenor. Sabemos tudo e conhecemos bem o passado de José Sócrates, Paulo Portas, Jerónimo de Sousa e Francisco Louçã. De Pedro Passos Coelho nada. Funciona como uma espécie de apagão de “lápis azul” na imprensa portuguesa o escrutínio sobre o passado profissional do líder do PSD que se candidata a futuro Primeiro-ministro. E afinal que passado.

Pedro Passos Coelho tem vários processos de execução fiscal pessoais por frequentes apresentações de declarações fora de prazo. (aqui identificamos alguns desses processos e respectivas coimas).

E como administrador do Grupo Fomentinvest Ambiente, SGPS viu-se envolvido em mais de 10 processos de contra-ordenação (em anexo mapa dos processos de contra-ordenação).

O último foi enquanto Presidente do Conselho de Administração da RIBTEJO em que perdeu no Tribunal da Relação um processo “por muito grave incumprimento das normas de qualidade de água tendo sido aplicada uma coima de 60 mil euros” (outro processo em anexo).

Vale a pena também investigar as “ligações perigosas” do grupo empresarial a que Pedro Passos Coelho está ligado e onde se destacaram os irmãos Cavaco acusados de burla qualificada no caso BPN e Horácio Luis de Carvalho acusado de corrupção activa e branqueamento de capitais e sócio da sub-holding Tejo-Ambiente (que inclui a Ribtejo e HLCTejo).

O Blogue “ Lápis Azul” não tem medo, não tem receio e quebra o manto de silêncio sobre os interesses que estão por detrás de Passos Coelho e da sua ânsia de privatizações. Veja-se o caso das Águas de Portugal e o interesse da Fomentinvest e do seu amigo Ângelo Correia (esta o Expresso não deixou escapar em nota de rodapé).

Imaginem que estas situações se passavam com qualquer um dos outros candidatos. O que seria?! Mas se investigarem que as duas empresas de marketing Brasileiras que estão a fazer a campanha do PSD são pagas por dois grandes grupos de Media nacionais, que perspectivam vir a beneficiar com a eventual privatização da RTP, fica muito clara a razão porque existe uma espécie de “lápis azul” na comunicação social sobre o passado e presente de Pedro Passos Coelho.

Muitas outras histórias iremos denunciar.
Consulte os crimes ambientais das empresas presididas por Passos Coelho

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -Notícia I: Ambiente. Empresa dirigida por Passos condenada a pagar 60 mil euros por negligência



Clique na imagem para ver a notícia no Ionline


Líder do PSD era presidente da Ribtejo à data das descargas de águas residuais com níveis de enxofre superiores aos permitidos na lei. Leia mais aqui.
http://www.blogger.com/img/blank.gif

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Expresso - 14 de Maio




- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Cadastro 2

Espanhóis fabricam um milhão de hambúrgueres por dia para os Portugueses.


Fábrica espanhola da McDonald’s que abastece restaurantes portugueses produz um milhão de hambúrgueres por dia

Equipados a rigor, de fato especial, toca na cabeça, capas nos sapatos, máscara e luvas, os 135 funcionários da OSI Food Solutions só podem entrar no espaço de fabrico se respeitarem regras de higiene muito específicas.
Numa primeira sala, um dos funcionários recebe a carne de vitela inteira e selecciona-a, excluindo as partes de gordura que não cumprem os níveis de qualidade estabelecidos. Daí, a carne é transportada para outra divisão, mais ampla, onde tudo acontece.
Colocada por outros funcionários dentro de uma máquina, as toneladas de carne de vitela são picadas e expelidas para outros caixotes sob olhar atento dos trabalhadores a quem compete controlar se não cai para o chão nenhum pedaço.
Depois, a carne já picada é colocada num outro equipamento que se encarrega de lhe dar a forma de hambúrguer. A seguir, filas de cinco hambúrgueres desfilam por um tapete rolante até chegarem à câmara fria, onde são congelados.I
D'SUL

Telenovelas “Mexicanas” á Portuguesa”.

Mas quem são estes artistas, sem qualquer valor para o país, a quem o povo nada deve e que tudo devem ao povo?
“Cá se fazem, cá se pagam”… 
Parte 1:As pressões de Moniz e Moura Guedes.
José Eduardo Moniz e Manuela Moura Guedes, mal souberam do convite de Miguel Macedo a Bernardo Bairrão, fizeram pressões para que Passos Coelho não viabilizasse a sua nomeação para secretário de Estado da Administração Interna. Recorde-se que Bairrão substituiu Moniz quando este abandonou o cargo de director-geral da TVI em Agosto de 2009. E que a decisão de acabar com o Jornal Nacional de 6.ª, de Moura Guedes, foi assumida por ele.
Qual foi o peso que estas duas almas penadas tiveram na decisão de Passos Coelho de retirar Bairrão da lista de secretários de Estado? Ninguém no Governo esclarece as razões que justificaram o veto de Passos, até o próprio Miguel Macedo, não esconde a sua desilusão.
Parte 2:O veto de Balsemão.
Manuela Moura Guedes já não vai para a SIC. A jornalista tinha já um contrato redigido mas, Pinto Balsemão vetou, a contratação.
Segundo se sabe, Moura Guedes, já tinha um contrato redigido, cartão de entrada na SIC, uma sala, um jornalista da estação a trabalhar com ela . O programa que iria apresentar era apontado como um magazine de fim-de-semana, mas acabou por ser retirado esse convite por veto directo do Dr. Balsemão.
Segundo se consta nos corredores do poder, ao que parece, o Dr. Balsemão não ficou muito contente com as pressões sobre Passos Coelho deste "par de jarras".
Não perca as cenas dos próximos capítulos de “Cá se fazem, cá se pagam”…

nunca me ensinou

ROUBAR UM CORAÇÃO

pintura óleo sobre tela de Joubert Pantanero

Para se roubar um coração, é preciso que seja com muita habilidade, tem que ser vagarosamente, disfarçadamente, não se chega com ímpeto,
não se alcança o coração de alguém com pressa.
Tem que se aproximar com meias palavras, suavemente, apoderar-se dele aos poucos, com cuidado.
Não se pode deixar que percebam que ele será roubado, na verdade, teremos que furtá-lo, docemente.
Conquistar um coração de verdade dá trabalho,
requer paciência, é como se fosse tecer uma colcha de retalhos, aplicar uma renda em um vestido, tratar de um jardim, cuidar de uma criança.
É necessário que seja com destreza, com vontade, com encanto, carinho e sinceridade.
Para se conquistar um coração definitivamente
tem que ter garra e esperteza, mas não falo dessa esperteza que todos conhecem, falo da esperteza de sentimentos, daquela que existe guardada na alma em todos os momentos.
Quando se deseja realmente conquistar um coração, é preciso que antes já tenhamos conseguido conquistar o nosso, é preciso que ele já tenha sido explorado nos mínimos detalhes,
que já se tenha conseguido conhecer cada cantinho, entender cada espaço preenchido e aceitar cada espaço vago.
...e então, quando finalmente esse coração for conquistado, quando tivermos nos apoderado dele,
vai existir uma parte de alguém que seguirá conosco.
Uma metade de alguém que será guiada por nós
e o nosso coração passará a bater por conta desse outro coração.
Eles sofrerão altos e baixos sim, mas com certeza haverá instantes, milhares de instantes de alegria.
Baterá descompassado muitas vezes e sabe por que?
Faltará a metade dele que ainda não está junto de nós.
Até que um dia, cansado de estar dividido ao meio, esse coração chamará a sua outra parte e alguém por vontade própria, sem que precisemos roubá-la ou furtá-la nos entregará a metade que faltava.
... e é assim que se rouba um coração, fácil não?
Pois é, nós só precisaremos roubar uma metade,
a outra virá na nossa mão e ficará detectado um roubo então!
E é só por isso que encontramos tantas pessoas pela vida a fora que dizem que nunca mais conseguiram amar alguém... é simples...
é porque elas não possuem mais coração, eles foram roubados, arrancados do seu peito, e somente com um grande amor ela terá um novo coração, afinal de contas, corações são para serem divididos, e com certeza esse grande amor repartirá o dele com você.
L.Veríssimo

«Sócrates ganhou 600 mil euros e não poupou nada» isto só no ordenadinho !

«Sócrates ganhou 600 mil euros e não poupou nada»

José Sócrates ganhou como primeiro-ministro, em seis anos, mais de 600 mil euros. A nova lei do controlo da riqueza dos titulares de cargos políticos obriga a declarar as contas à ordem com saldo superior a 50 salários mínimos, correspondente ao valor actuar de 24.250 euros.

Mas Sócrates, apesar daqueles rendimentos, não tem poupanças nem contas bancárias à ordem com um saldo superior a 24.250 euros. É o que consta da sua declaração de rendimentos de cessação de funções de primeiro-ministro, que entregou no Tribunal Constitucional no dia 20 de Junho, véspera da tomada de posse do novo Executivo.
03-07-2011 CM

São Brás de Alportel - Faro - “Arte viva” regressa e apresenta Linda Scanlon e Stepline Project

São Brás de Alportel - Faro -  “Arte viva” regressa e apresenta Linda Scanlon e Stepline Project




Artistas de várias nacionalidades irão mostrar os seus trabalhos de pintura, escultura e cerâmica a que se alia animação de rua para os mais jovens, petiscos de cozinha internacional e teatro e música ao vivo, no Museu do Traje no dia 9 de Julho das 18h00 às 00h00, em São Brás de Alportel.    
Este ano O Festival Arte Viva abre com uma breve atuação do Coro dos Amigos do Museu, seguida do grupo de teatro Aperitivo e do grupo Bella Capella (Barber Shop) finalizando com um desfile das últimas criações da estilista Jouk.
A banda irlandesa Synergy, com a participação especial da cantora Linda Scanlon, vai estar em palco a partir das 21h00, com um repertório de músicas dos anos 70 e 80 e música irlandesa para dançar.
Segue-se o Grupo Stepline Project, com música de fusão de ‘digeridoo’ , eletrónica associada à projeção de imagem.
Ao longo do dia a animação de rua acompanha as tendinhas com acepipes da cozinha internacional, havendo ainda a oportunidade de conhecer as várias atividades e eventos que os Amigos do Museu promovem.

Turismo: Algarve aproveita primavera árabe e crise interna
03-07-2011 9:07:00



A capacidade hoteleira tradicional do Algarve tem as reservas (quase) completas para julho e para agosto. Há muitas promoções e preços mais baixos. Instabilidade social e política nos destinos concorrentes atraiu turistas britânicos e crise leva nacionais a fazer férias "cá dentro".

O Turismo de Portugal prevê uma época “positiva”, mas preferia que “os preços não fossem tão baixos”. O presidente do Turismo de Portugal (TP), Luís Patrão, prevê um verão “muito positivo” para o setor turístico, apesar de considerar que os preços praticados “deviam ser um pouco mais altos”.
Em declarações à Lusa, Luís Patrão afirmou que se espera um aumento de turistas estrangeiros em férias no país durante o verão, o que pode sustentar a época alta do turismo, ainda que as tarifas praticadas pelos estabelecimentos de alojamento continuem baixas por causa da crise.





“As perspetivas são muito positivas para o verão. O turismo este ano vai dar bons resultados quantitativos e resultados económicos igualmente bons, mas baseados em tarifas, em preços por quarto, que ainda não são os desejáveis”, sublinhou o responsável.
Apesar de considerar que os preços estão ainda baixos, Luís Patrão ressalva que as tarifas atualmente praticadas pelo setor são “para um período de recuperação”.
Segundo o TP o turismo é hoje a principal atividade exportadora nacional, representando em 2010 cerca de 14% das exportações de bens e serviços e 43,3% das receitas de exportações de serviços.
Quanto aos rankings de competitividade Portugal surge em segundo lugar nos mercados do Mediterrâneo em 10º na União Europeia e em 17º a nível mundial.
Primavera árabe e “indignados” da Grécia afugentam turistas
O Algarve está a beneficiar das perturbações sociais que se estão a verificar em destinos como o Egipto, a Tunísia e a Grécia registando níveis de ocupação insólitos em julho e setembro na hotelaria de cinco estrelas, como reconhece Pedro Lopes, administrador do Grupo Pestana.
A crise é igualmente responsável para que as férias lá fora, em especial em destinos como o Brasil e as Caraíbas estejam a ser substituídas pelas férias “cá dentro” junto a praias algarvias.
A valorização do real transformou o destino tropical numa opção muito mais cara e logo mais inacessível para a classe média.
Há muitos portugueses que ainda conseguem ir férias no verão e “a crise está a afetar mais as classes média e baixa”.
A tendência é referida pelo presidente do Turismo do Algarve, António Pina, que salienta ainda a vinda de mais turistas britânicos.




Preços de saldo ajudam à enchente
Preços mais baixos, promoções de serviços e “facilidades” como o SPA ou as diárias com meia pensão, para captar clientes, são estratégias dos hoteleiros que possibilitam uma semana de férias com cerca de 350 euros (dormida e meia pensão) nalgumas das estâncias turísticas de referência algarvias.
Elidérico Viegas, presidente da Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve, confirma " um cenário de aumento das taxas de ocupação que serão de 100% na segunda quinzena deste mês e nas semanas de agosto", salientando que o Algarve "é um destino de férias para todas as carteiras", com preços muito variáveis, mesmo na oferta de cinco estrelas.
Para este dirigente associativo o mercado britânico voltou a subir, com muitos dos turistas a preferirem a calma do Algarve a destinos marcados pela instabilidade social e política.
Portugueses e britânicos surgem assim como os mais importantes para a ocupação hoteleira, reeditando a procura tradicional do Algarve.
Fora destas contas e estatísticas ficam milhares de visitantes nacionais e estrangeiros, em especial do Reino Unido e Irlanda, para quem a casa de amigos, ou o aluguer de apartamentos privados é a opção de alojamento.

862 mil euros por um quadro de Paula Rego é novo recorde da autora





O quadro “Looking Back” (“Olhando para trás”, em português), pintado em 1987 por Paula Rego

A pintora ultrapassou a soma anteriormente atingida com a venda de "Baying". Mas continua atrás de Maria Helena Vieira da Silva no ranking dos artistas portugueses no mercado da arte
É um recorde no historial de Paula Rego: o seu quadro Looking back (1987) foi ontem vendido na Christie"s, em Londres, por 769.250 libras, o equivalente a 864.792 euros (seguindo a taxa de conversão da plataforma Forex). Esta soma ultrapassa o recorde anterior nas vendas de obras da artista, estabelecido em Fevereiro de 2008, também na capital britânica, mas dessa vez pela leiloeira rival Sotheby"s, com a pintura Baying (1994), que atingiu 560 mil libras, então correspondentes a 740 mil euros (ao câmbio actual, dada a desvalorização da libra, seriam apenas 623 mil).

Looking back foi à praça com uma base de licitação entre as 600 mil e as 800 mil libras, e foi a sexta obra a ser vendida no primeiro de dois dias que a Christie"s está a dedicar à arte contemporânea e do pós-guerra. Hoje irão também à praça outros trabalhos de Paula Rego, mas com bases de licitação menores, rondando as dez mil libras.

No catálogo do leilão, a Christie"s apresentava Looking back como "uma das pinturas mais poderosas de Paula Rego". Realizada no ano imediatamente anterior à morte do seu marido, o pintor Victor Willing (1928-1988), esta obra é vista como tendo uma importância capital no percurso da artista - há anos radicada em Londres -, tendo sido exibida pela primeira vez na galeria Edward Totah, nesse mesmo ano de 1987.

"Na carreira de todos os artistas famosos há uma exposição que marca a viragem e, para Paula Rego, foi esta", escreveu John McEwen, autor de dois livros sobre o trabalho de Paula Rego, ontem citado pela agência Lusa, referindo-se à mostra na galeria Edward Totah. Terá sido nessa altura, continua John McEwen, que a artista "mostrou o controlo total e metafórico do gosto em contar histórias de forma subversiva, que antes tinha sido feito através do uso de animais como personagens".

Looking back, que pertencia à colecção pessoal de Kay Saatchi, ex-mulher do coleccionador de arte Charles Saatchi, representa duas mulheres, uma criança e um cão num estranho movimento em volta de uma mesa. O quadro já foi exposto em Lisboa e no Porto, no final dos anos 90.

Com o resultado obtido no leilão de ontem, Paula Rego, nascida em Lisboa em 1935 e com uma obra ainda em curso, reafirma-se como a segunda pintora portuguesa mais cotada no mercado internacional da arte, logo atrás de Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992), que teve já duas obras vendidas por mais de um milhão de euros, Lisbonne-Ville (1958) e Ode à l"Hiver (1960) (ver friso em cima com as restantes obras mais caras de sempre de artistas portugueses).

No leilão de ontem, e como era esperado, coube a Francis Bacon, com Study for a portrait (1953), bater o recorde da sessão, atingindo cerca de 20 milhões de euros. Também acima dos cinco milhões foram vendidas obras de Andy Warhol (Mao; 7,6 milhões), Peter Doig (Red boat - Imaginary boys; 6,9 milhões) e Lucien Freud (Woman smiling; 5,2 milhões).

A manela e o zé também mandam no governo !

Moniz e Moura Guedes contra Bernardo Bairrão
2 de Julho, 2011
José Eduardo Moniz e Manuela Moura Guedes, mal souberam do convite de Miguel Macedo a Bernardo Bairrão, fizeram saber junto do gabinete de Passos Coelho o seu desagrado com o nome indicado para secretário de Estado da Administração Interna. E as pressões para que Passos não viabilizasse a nomeação de Bairrão não se ficaram por aí: o SOL apurou que também Nuno Vasconcellos, da Ongoing, fez chegar os seus protestos ao gabinete do primeiro-ministro.
Recorde-se que Bairrão substituiu Moniz quando este abandonou o cargo de director-geral da TVI em Agosto de 2009. E que a decisão de acabar com o Jornal Nacional de 6.ª, de Moura Guedes, foi assumida por ele.
Qual o peso que estas (e outras) pressões tiveram na decisão de Passos Coelho de retirar Bernardo Bairrão da lista de secretários de Estado que tomaram posse na terça-feira fica por se saber.
Porque ninguém no Governo esclarece as razões que justificaram o veto de Passos ao nome inicialmente proposto por Miguel Macedo. Nem o próprio ministro da Administração Interna, que não escondeu, porém, a sua desilusão após a cerimónia de posse dos novos secretários de Estado: «Lamento que essa indicação não se tenha consumado, porque era um contributo importante para o trabalho que temos de fazer, mas nestas coisas a vida continua e temos de andar para a frente».
E o ex-administrador da TVI – Bairrão apresentou a demissão da Media Capital para aceitar o convite de Macedo e não voltou atrás após ter deixado de constar da lista de novos governantes – limitou-se a dizer que a decisão de não aceitar o cargo foi sua, «por razões políticas e pessoais». Quais? Não esclareceu.
Uma das explicações aventadas foi o facto de Bairrão ter feito declarações contra a privatização da RTP, que o novo Executivo incluiu no seu programa. Essas declarações, que já tinham sido gravadas na semana anterior, só passaram na TVI no sábado passado, juntamente com as de Pedro Norton (administrador da Impresa também contra a privatização da RTP).
Há ainda quem sustente que o facto de Marcelo Rebelo de Sousa ter avançado com a notícia do convite de Macedo a Bairrão no domingo, véspera da entrega da lista de nomes a Cavaco Silva, também terá pesado na decisão. O que o professor afasta, sublinhando que circularam 18 nomes e nenhum foi excluído apenas por se ter falado neles.
SOL

Nuno Crato suspendeu o Encerramento das Escolas do Primeiro Ciclo.

Governo Suspende Encerramento de Escolas Mais de 600

O Ministério da Educação suspendeu o Encerramento das Escolas do Primeiro Ciclo do ensino básico com Menos de duas uma Alunos.
A Medida JÁ FOI autarquias comunicada como, Que elogiaram uma decisão, embora nao Haja Mais Informação Sobre prazos.
A Medida de Nuno Crato Teve los Conta OS Problemas dos municípios, seriam obrigados Que um assegurar o Transporte dos Alunos parágrafo Outras escolas.o Ministério da Educação garantiu Que ira reavaliar uma proposta de Encerramento das Escolas EO Seu Impacto
D'SUL

Será Disto Que Estamos a Precisar?

O DIÁRIO DE NOTÍCIAS na sua edição de hoje, 3 de Julho, informa que o ministro da Defesa, Aguiar Branco, revelou que o Governo está empenhado no desenvolvimento do avião de transporte militar KC-390, o qual irá substituir os C-130 actualmente ao serviço, dando assim continuidade a um projecto que surgiu na anterior legislatura, na sequência de uma parceria com a construtora brasileira Embraer, a qual está a construir duas fábricas em Évora.É dito ainda que tal associação permitiria envolver empresas portuguesas e potenciar um "cluster" à volta da aeronáutica, contribuindo para a melhoria das competências tecnológicas de formação e de qualificação da Força Aérea portuguesa.
Se estamos a pensar no ganho em competências e na participação de empresas portuguesas no referido projecto, facto que é sempre bemvindo, no quadro da esperada reanimação da actividade industrial portuguesa, tudo bem. Por outro lado, e atendendo às dificuldades económico-financeiras que o país atravessa, se também se equaciona a substituição da esquadra de C-130, não vejo que isso corresponda a uma prioridade inadiável. Portanto, coloca-se uma questão prévia: será disto que estamos a precisar? Na minha opinião, e depois dos episódios dos blindados Pandur e dos submarinos, já chega de andarmos à procura de mais lenha para nos queimarmos. Vá lá, tenham juízo! Voar sim, mas com os pés bem assentes na terra.

EXEMPLOS REAIS DE PEDAGOGIA POLICIAL E UM EPISÓDIO CARICACTO




foto retirada da net.

Conduziu carro da Polícia sem carta durante anos

A PSP de Vila do Conde teve, durante anos e anos, um agente a conduzir carros-patrulha sem ter carta de condução. O caso está a provocar escândalo interno e gerou até um processo-crime. O polícia continua em funções.
De acordo com informações recolhidas pelo JN, vários colegas suspeitavam da situação há algum tempo. Porém, o agente principal foi desmascarado apenas com a entrada de novos elementos para aquela divisão policial. Ao constatar, por mero acaso, que o suspeito, de 50 anos, não tinha habilitação legal para conduzir, recusaram fechar os olhos e denunciaram o caso à hierarquia.

Novas Fórmulas de “Outsourcing” - PARA o caso de ser assaltado, o posto da Guarda Nacional Republicana (GNR) de Armação de Pêra, tem instalado um sistema de alarme, contratado com a empresa privada de segurança e vigilância Prosegur.

foto da net da respons. de António Garrrochinho

Novas Fórmulas de “Outsourcing”

PARA o caso de ser assaltado, o posto da Guarda Nacional Republicana (GNR) de Armação de Pêra, tem instalado um sistema de alarme, contratado com a empresa privada de segurança e vigilância Prosegur. Será que não é da competência da GNR assegurar a inviolabilidade das suas próprias instalações, ou será que este posto não possui efectivos? Na verdade, não sei, mas se a moda pega ainda vamos ver o Ministério das Finanças a subcontratar o Cobrador do Fraque para efectuar junto dos contribuintes relapsos a recuperação coerciva dos impostos em atraso, ou o Ministério das Obras Públicas abdicar de ministro, secretários de estado e de instalações, e mudar-se de armas e bagagens para o Grupo Mota-Engil, ou qualquer outra construtora que mantenha concubinato com o governo em funções.