AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quinta-feira, 2 de junho de 2011

DECLARAÇÃO DE VOTO - Quero porém deixar claramente expresso, sem pretender dar nas vistas, que nada disto me impede de ver com toda a nitidez que Sócrates nunca prestou nem presta, que Passos Coelho não presta nem nunca prestará e que Paulo Portas foi, é e será imprestável.

foto retirada da net por A.Garrochinho

 

2 de junho de 2011


Declaração de voto



Vejam bem
Aos 47 anos, não era para admirar: a minha optometrista demonstrou-me que os meus olhos padecem de hipermetropia e presbiopia. O olho esquerdo acumula estas moléstias com um assinalável véu astigmático. Quer dizer que troquei os óculos de leitura por umas cangalhas de lentes progressivas para o resto da vida. Sou, portanto, hipermétrope, presbita e astigmata. Paciência: a idade e as fadigas deram-me as duvidosas mas indubitáveis prendas do “olho curto”, da ovalação da córnea e da formação de imagens atrás da retina.
Quero porém deixar claramente expresso, sem pretender dar nas vistas, que nada disto me impede de ver com toda a nitidez que Sócrates nunca prestou nem presta, que Passos Coelho não presta nem nunca prestará e que Paulo Portas foi, é e será imprestável. Não há desfoque físico que me impeça de ver tudo isto com a mais cristalina, reverberante, nívea, luminosa e iluminada clareza.
Podem ser turvas as minhas escleróticas, pupilas e córneas; pode o meu humor aquoso ter conhecido dias bem mais solares; pode qualquer das minhas íris nunca mais irisar com olhos de ver; pode o humor vítreo estar estilhaçado como nunca; pode o nervo óptico andar mais nervoso do que vidente; pode o cristalino achar-se, até por melancolia, mais turvo do se calhar merecia; podem a retina e a coróideia ter chegado a este ponto algo torpe da insuficiência de acomodação tão própria dos presbitas. Podem, podem.
O que não podem é impedir-me de continuar a ter os olhos abertos. Eles estarão cansados, tristes e a funcionar mal no mundo das volumetrias luminoplastas. Eles, os olhos, estão. A vista está. Mas a visão, não. Olho com dificuldade, mas vejo perfeitamente.
E o que perfeitamente vejo é que Sócrates nunca prestou nem presta, que Passos Coelho não presta nem nunca prestará e que Paulo Portas foi, é e será imprestável. Dia 5 de Junho, na posse dos meus óculos novos, não terei qualquer dificuldade em ver de onde venho e para onde quero ir. Os meus leitores verão, naturalmente, o que quiserem ver. Porque ver é ser, não é olhar para o lado.
O mais que recomendo é que, em vez de vistas curtas, se lembrem da canção que dá nome a esta crónica. Porque “não há só gaivotas (ou milhafres) em terra / quando um homem se põe a pensar”.

o pequeno filho-da-puta


o pequeno filho-da-puta
é sempre
um pequeno filho-da-puta;
mas não há filho-da-puta,
por pequeno que seja,
...que não tenha
a sua própria grandeza
diz o pequeno filho-da-puta
no entanto, há
filhos-da-puta
que nascem grandes
e
filhos-da-puta
que nascem pequenos,
diz o pequeno filho-da-puta.
de resto,
os filhos-da-puta
não se medem aos palmos...
A.Pimenta

Para meditar - Um animal dito humano e um animal não humano têm de comum as mesmas necessidades: comer, beber, dormir, acasalar.

Quarta-feira, 25 de Maio de 2011

O TER É DA CARCAÇA, É DO EFÉMERO...






Um animal dito humano e um animal não humano têm de comum as mesmas necessidades: comer, beber, dormir, acasalar.
As mesmas ameaças: fogo, água, ventos, terramotos, doenças. E exactamente os mesmos sofrimentos físicos, e a dor moral da perda de um ser querido, do abandono, da indiferença. Sim, um é falante. O outro não. E depois? Tal aparente superioridade nunca protegeu o corpo de um indivíduo, dito humano, abonado com o dom da palavra, de ser devorado por um verme, com a igual sofreguidão com que um verme devora o cadáver de um porco, de um rato do campo ou de um pé de couve.

Diante do inevitável, homem, porco, rato do campo e pé de couve perecem como todas as coisas que são perecíveis. Já dizia um outro Zaratustra do mundo que somos a acumulação do que fomos antes, e seremos a acumulação do que hoje somos mais o que já fomos, e assim sucessivamente, para, no final, nos transformarmos todos em matéria putrefacta.
Resta-nos o espírito. E o espírito, esse sim, tem de ser imortal, de outro modo, a vida não faria qualquer sentido. Daí ser lógico cultivar mais o ser do que o ter. O ser é do espírito, é da imortalidade... O ter é da carcaça, é do efémero…

Oskar Kapriolo in «A Hora do Lobo»
Galatea e Triton

Comissão Europeia gastou oito milhões de euros em festas e jactos privados


Comissão Europeia Festa é Festa......

Comissão Europeia gastou oito milhões de euros em festas e jactos privados

Enquanto exige aos países da zona euro mais austeridade para reduzir o défice, a Comissão Europeia (CE) não tem refreado os seus próprios gastos. De acordo com uma investigação jornalística, os comissários europeus gastaram cerca de oito milhões de euros em jactos privados, festas e férias luxuosas.

Pelo Sim, Pelo Não… POR UM voto se ganha, por um voto se perde, por isso, há quem lhe chame um doce, quando aparece na urna um boletim de VOTO em BRANCO.

Quinta-feira, Junho 02, 2011

Pelo Sim, Pelo Não…

POR UM voto se ganha, por um voto se perde, por isso, há quem lhe chame um doce, quando aparece na urna um boletim de VOTO em BRANCO. Por outro lado, e como nunca nos devemos fiar na eficácia do nosso Ministério da Administração Interna, NÃO se esqueçam de levar convosco o NÚMERO DE ELEITOR!

NOTA – Este é o meu último post até que estejam apurados os resultados da eleição de domingo, dia 5 de Junho de 2011. Até lá, vou reflectir maduramente em quem votar, porque em quem não vou votar, já está decidido há muito. Isto de passar procuração a alguém é assunto sério, e não se pode voltar atrás na decisão. Votem bem!

cartas ao vento




eram as palavras mais doces
eu , assim pensava que fosses
e agora sufoco na tu mudez
eram as promessas mais belas
agora sufoco na ausência delas
lembrando noites da tua nudez
eram projectos loucos de felicidade
fantasias tornadas realidade
sonhos que conseguíamos realizar
resta o uivar do vento
o tic tac do tempo
misturado no som dos saltos altos do teu andar

António Garrochinho

O presidente da Confederação de Agricultores de Portugal (CAP) disse hoje que o mercado português está «inundado» de legumes espanhóis que não conseguem escoar a produção para outros destinos devido ao pânico provocado pela bactéria E. Coli. «Os espanhóis, que exportam normalmente para o Norte da Europa e para a Alemanha, não conseguem vender os seus produtos nestes países e viraram-se para Portugal»,

Espanhóis estão a inundar de legumes o mercado português
2 de Junho, 2011
O presidente da Confederação de Agricultores de Portugal (CAP) disse hoje que o mercado português está «inundado» de legumes espanhóis que não conseguem escoar a produção para outros destinos devido ao pânico provocado pela bactéria E. Coli. «Os espanhóis, que exportam normalmente para o Norte da Europa e para a Alemanha, não conseguem vender os seus produtos nestes países e viraram-se para Portugal», afirmou João Machado, acrescentando que os legumes estão a ser praticamente «oferecidos» às grandes superfícies.
«Com a Rússia [a proibir as importações] ainda vai ser ainda pior», comentou o dirigente associativo.
Embora a Rússia não seja relevante para o sector hortícola exportador português é um importante mercado de destino para os espanhóis que terão assim ainda mais dificuldades em escoar os vegetais.
Esta situação está a aumentar a pressão sobre os produtores portugueses que também não conseguem vender vegetais frescos porque o consumo interno «caiu abruptamente» desde terça-feira.
«Isto quer dizer que as encomendas caíram para quase zero», adiantou João Machado, mostrando-se «muito preocupado» sobre o impacto para os agricultores, pois estes produtos «tem uma duração muito limitada, seja em estufa ou ao ar livre».
A exportação não é, neste caso, uma alternativa, pois os produtores portugueses também não estão a conseguir vender nos seus mercados habituais (Norte da Europa, Alemanha ou Inglaterra).
«Estamos a fazer uma ronda entre os nossos associados para perceber quais os mercados que estão fechados», disse o presidente da CAP.
Um surto infeccioso da bactéria Escherichia coli (E.coli) foi detectado na Alemanha na semana passada, tendo entretanto provocado 18 mortos e afetado milhares de pessoas. Apesar de as autoridades terem inicialmente atribuído o surto à contaminação de pepinos espanhóis, a origem da infecção continua desconhecida.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou hoje tratar-se de uma nova estirpe da bactéria nunca antes detectada.
Lusa/SOL

Basta recordar que todas as gravações dos diálogos telefónicos de Sócrates com o banqueiro Vara, seu ex-ministro foram mandadas destruir por decisão (lamentável) do Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, para se ter a certeza de que seriam muitíssimo mais comprometedoras para ele do que as «conversas privadas» que tanto o indignam agora, divulgadas aliás dias depois de, num restaurante, ter defendido, em amena «conversa» com dois ministros seus, a necessidade de silenciar o jornalista Mário Crespo da SIC Noticias.

URBANO TAVARES RODRIGUES ESCREVE SOBRE JOSÉ SÓCRATES

URBANO TAVARES RODRIGUES

Pertenço a uma geração que se tornou adulta durante a II Guerra Mundial. Acompanhei com espanto e angústia a evolução lenta da tragédia que durante quase seis anos desabou sobre a humanidade.
Desde a capitulação de Munique, ainda adolescente, tive dificuldade em entender porque não travavam a França e a Inglaterra o III Reich alemão. Pressentia que a corrida para o abismo não era uma inevitabilidade. Podia ser detida.
Em Maio de 1945, quando o último tiro foi disparado e a bandeira soviética içada sobre as ruínas do Reichstag, em Berlim, formulei como milhões de jovens em todo o mundo a pergunta
«Como foi possível?»
Hitler suicidara-se uma semana antes. Naqueles dias sentíamos o peso de um absurdo para o qual ninguém tinha resposta. Como pudera um povo de velha cultura, o alemão, que tanto contribuíra para o progresso dahumanidade, permitir passivamente que um aventureiro aloucado exercesse durante 13 anos um poder absoluto. A razão não encontrava explicação para esse absurdo que precipitou a humanidade numa guerra apocalíptica (50 milhões de mortos) que destruiu a Alemanha e cobriu de escombros a Europa?
Muitos leitores ficarão chocados a por evocar, a propósito da crise portuguesa, o que se passou na Alemanha a partir dos anos 30.
Quero esclarecer que não me passa sequer pela cabeça estabelecer paralelos entre o Reich hitleriano e o Portugal agredido por Sócrates. Qualquer analogia seria absurda.
São outros o contexto histórico, os cenários, a dimensão das personagens e os efeitos.
Mas hoje também em Portugal se justifica a pergunta «Como foi possível?»
Sim. Que estranho conjunto de circunstâncias conduziu o País ao desastre que o atinge? Como explicar que o povo que foi sujeito da Revolução de Abril tenha hoje como Primeiro-ministro, transcorridos 35 anos, uma criatura como José Sócrates? Como podem os portugueses suportar passivamente há mais de cinco anos a humilhação de uma política autocrática, semeada de escândalos, que ofende a razão e arruína e ridiculariza o Pais perante o Mundo?
O descalabro ético socrático justifica outra pergunta: como pode um Partido que se chama Socialista (embora seja neoliberal) ter desde o início apoiado maciçamente com servilismo, por vezes com entusiasmo, e continuar a apoiar, o desgoverno e despautérios do seu líder, o cidadão Primeiro-ministro?
Portugal caiu num pântano e não há resposta satisfatória para a permanência no poder do homem que insiste em apresentar um panorama triunfalista da política reaccionária responsável pela transformação acelerada do país numa sociedade parasita, super endividada, queconsome muito mais do que produz.
Pode muita gente concluir que exagero ao atribuir tanta responsabilidade pelo desastre a um indivíduo. Isso porque Sócrates é, afinal, um instrumento do grande capital que o colocou à frente do Executivo e do imperialismo que o tem apoiado. Mas não creio neste caso empolar o factor subjectivo.
Não conheço precedente na nossa História para a cadeia de escândalos maiúsculos em que surge envolvido o actual Primeiro-ministro.
Ela é tão alarmante que os primeiros, desde o mistério do seu diploma de engenheiro, obtido numa universidade fantasmática (já encerrada), aparecem já como coisa banal quando comparados com os mais recentes.
O último é nestes dias tema de manchetes na Comunicação Social e já dele se fala além fronteiras.
É afinal um escândalo velho, que o Presidente do Supremo Tribunal e o Procurador-geral da República tentaram abafar, mas que retomou actualidade quando um semanário divulgou excertos de escutas do caso Face Oculta.
Alguns despachos do procurador de Aveiro e do juiz de instrução criminal do Tribunal da mesma comarca com transcrições de conversas telefónicas valem por uma demolidora peça acusatória reveladora da vocação liberticida do governo de Sócrates para amordaçar a Comunicação Social.
Desta vez o Primeiro-ministro ficou exposto sem defesa. As vozes de gente sua articulando projectos de controlo de uma emissora de televisão e de afastamento de jornalistas incómodos estão gravadas. Não há desmentidos que possam apagar a conspiração.
Um mar de lama escorre dessas conversas, envolvendo o Primeiro-ministro. A agressiva tentativa de defesa deste afunda-o mais no pântano. Impossibilitado de negar os factos, qualifica de «infame» a divulgação daquilo a que chama «conversas privadas».
Basta recordar que todas as gravações dos diálogos telefónicos de Sócrates com o banqueiro Vara, seu ex-ministro foram mandadas destruir por decisão (lamentável) do Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, para se ter a certeza de que seriam muitíssimo mais comprometedoras para ele do que as «conversas privadas» que tanto o indignam agora, divulgadas aliás dias depois de, num restaurante, ter defendido, em amena «conversa» com dois ministros seus, a necessidade de silenciar o jornalista Mário Crespo da SIC Noticias.
Não é apenas por serem indesmentíveis os factos que este escândalo difere dos anteriores que colocaram José Sócrates no banco dos réus do Tribunal da opinião pública. Desta vez a hipótese da sua demissão é levantada em editoriais de diários que o apoiaram nos primeiros anos e personalidades políticas de múltiplos quadrantes afirmam sem rodeios que não tem mais condições para exercer o cargo.
O cidadão José Sócrates tem mentido repetidamente ao País, com desfaçatez e arrogância, exibindo não apenas a sua incompetência e mediocridade, mas, o que é mais grave, uma debilidade de carácter incompatível com a chefia do Executivo.
Repito: como pode tal criatura permanecer como Primeiro-ministro?

NÃO DEIXEM QUE ESTES IRRESPONSÁVEIS TOMEM O PODER !

Quinta-feira, 2 de Junho de 2011

O FUTURO MINISTRO DAS FINANÇAS? DIA 5 SABEREMOS!

MAS MAL CONTINUARÁ O PAÍS SE TAL ACONTECER!

Depois de os vídeos do Catroga no Youtube terem ultrapassado a popularidade do Paulo Futre, o marketing do Licor Beirão concluiu que os outdoors estavam a perder eficácia. A solução foi convidar Eduardo Catroga, o conhecido professor pentelho, para dar a cara a uma nova campanha.

Não há STRESS…

Não há STRESS…

… podem votar em tudo, menos nos partidos com ESSE!

POLÍTICA DE DIREITA A DE SÓCRATES A DOS BANQUEIROS A DOS GRANDES CAPITALISTAS

Os quatro bancos principais privados ganharam em 2010, mais de 1 432 milhões de euros de lucro e pagaram menos de metade os impostos pagos no ano anterior. Os seus lucros equivalem ao rendimento de 215 mil trabalhadores com o salário mínimo nacional daquele ano.

Em 2010, o governo PS só aumentou a pensão social em dois euros e trinta e quatro cêntimos. E em 2011 congelou todas as reformas e pensões com o acordo do PSD ! O PS, o PSD, votaram contra o aumento proposto pelo PCP de 25 euros nas pensões mais baixas. E o CDS absteve-se !

A fortuna acumulada de Américo Amorim, Alexandre Soares dos Santos e Belmiro de Azevedo corresponde ao rendimento anual de dois milhões de reformados, com uma reforma de 227,34 € ( referência á pensão mínima dos trabalhadores agrícolas )










O PS, o PSD e o CDS-PP mentem quando afirmam que não há alternativa. Eles defendem a intervenção do FMI a pensar nos banqueiros, nos grupos económicos, na Alemanha, ou na União Europeia.


DOMINGO VOTA POR UM PORTUGAL LIMPO DE CORRUPÇÃO E COM MAIS IGUALDADE E JUSTIÇA.
VOTA CDU A FORÇA QUE DEFENDE OS TRABALHADORES !

A chegar quase ao fim de mais uma campanha eleitoral é inquietante constatar que se anda a tentar comunicar com pessoas que, em número assustador, são as mesmas que por causa de uma estória muito mal contada, passada na Alemanha e com acusações a uns pepinos espanhóis, que muito provavelmente não fizeram mal a ninguém... já não compram ou comem, em Portugal, nem pepinos, nem alfaces, nem tomates, nem couves...

Quinta-feira, 2 de Junho de 2011

Pepinos... e os misteriosos caminhos do cérebro humano


A chegar quase ao fim de mais uma campanha eleitoral é inquietante constatar que se anda a tentar comunicar com pessoas que, em número assustador, são as mesmas que por causa de uma estória muito mal contada, passada na Alemanha e com acusações a uns pepinos espanhóis, que muito provavelmente não fizeram mal a ninguém... já não compram ou comem, em Portugal, nem pepinos, nem alfaces, nem tomates, nem couves...
Como é que se chega até ao cérebro destas pessoas com uma mensagem que tente ir para lá da gritaria das feiras, das esferográficas e isqueiros para a coleção, aventais, bonés, T-shirts, mentiras e promessas descabeladas?
Isto vem mostrar que ter acesso a cem canais de televisão e a milhões de fontes de informação e conhecimento, não significa que se acede realmente a essa informação, ou que se adquire conhecimento.
Isto vem mostrar que, muito provavelmente, a descomunal “oferta” de informação não tratada e posta à disposição de todos, pode bem ser, sob a capa da “democracia e liberdade”, uma forma intencional de aumentar a confusão e baixar o nível de formação cultural e política de populações inteiras... com os resultados que estão à vista.

Omelete sem ovos - receita

Quinta-feira, 2 de Junho de 2011


Quinta-feira, 2 de Junho de 2011


Omelete sem ovos

E ainda dizem que não é possível... cá está... a qualidade e a competência é dispensável nos dias que correm... qualquer dia também deixa de haver galinhas e aí é que a porca torce o rabo. Próxima receita "Fungaga da bicharada", a não perder.

receita omelete sem ovos

meia chavena farinha de grao;
1 colher de sobremesa cha de sal;
1 colher de acafrao;
1 batata média cozida e bem amassada;
1 colher de sobremesa de levedura de cerveja ;
meia chavena cha de oleo ou agua;
Vegetais e ervas aromaticas a gosto;

Numa tijela meter a farinha de grão, acafrão, levedura, sal misturar bem e juntar o oleo ou agua e misturar bem ate ficar com uma consistençia identica ao ovo, juntar a batata e mexer bem. Aqueçe um fio de azeite ou oleo numa frigideira anti aderente grande. Saltear os vegetais a gosto coloca a mistura junta as ervas a gosto e deixa dourar em lume medio/baixo e vira. deixa dourar o outro lado e serve acompanhado com o que quizeres. Bom proveito!
http://omeletesemovoscoop.blogspot.com/2009/08/receita-omelete-sem-ovos.html
E ainda dizem que não é possível... cá está... a qualidade e a competência é dispensável nos dias que correm... qualquer dia também deixa de haver galinhas e aí é que a porca torce o rabo. Próxima receita "Fungaga da bicharada", a não perder.

 

A Televisão Digital Terrestre é grátis*! -Que queiram vender um serviço de televisão paga pela diversidade e quantidade de canais ainda vá, agora, tentarem sequer fazer perceber que é mais vantajoso em termos económicos do que a adesão à TDT é uma completa falácia.

Televisão Digital Terrestre (TDT) vs Zon

Desde que foi anunciado o fim para a transmissão do sinal analógico de televisão, as operadoras de televisão por cabo viram abrir-se uma tremenda janela de oportunidade para angariação de novos clientes. No entanto, nem sempre a ética e as boas práticas são compatíveis com a ânsia de atingir objectivos comerciais.

Em Alenquer, por exemplo, zona onde a 12 de Maio último o sinal analógico foi definitivamente desligado, muitos consumidores terão sido iludidos pela Zon, que terá transmitido a ideia de que o fim do sinal analógico correspondia ao fim da transmissão televisiva em sinal aberto e que a única solução seria a opção por uma subscrição de televisão por cabo. Esta situação levou mesmo a Anacom a processar a empresa mas, pelos vistos, a Zon não foi a única a ter uma prática incorrecta.

Ora bem, há alguns dias atrás fui surpreendido no meu local de trabalho por um telefonema de uma comercial da Zon que começou por me perguntar se na empresa tínhamos televisão. Rindo, disse-lhe que não tínhamos televisão e que, por outro lado, a televisão também não era encarada como um instrumento essencial de produtividade da empresa (excepto no último Campeonato do Mundo onde, para elevar os níveis de moral de modo a reforçar a produtividade, fomos forçados a suspender a laboração para podermos ir assistir aos jogos da Selecção Nacional nas instalações domésticas da minha entidade patronal, mas claro, isso não mencionei à senhora da Zon).

A senhora não desarmou e quis saber se em minha casa tinha algum serviço de televisão ou se tinha apenas os 4 canais em sinal aberto, reforçando que seria do meu interesse mudar porque em breve o sinal seria também desligado. Acrescentou que eu teria depois de comprar uma box descodificadora que no mínimo me custaria 40€ mas que, se eu recorresse à Zon, teria direito à box e a respectiva instalação completamente grátis (o que contraria os anúncios da própria Zon de que a instalação custa 25,63€).

Um bom exemplo de publicidade enganosa!

Fiz então questão de relembrar à senhora que, mesmo apesar da oferta inicial, a contratação dos serviços da Zon envolveria sempre o pagamento subsequente de uma mensalidade, cujo valor acumulado rapidamente excederia os tais 40€, acabando por ser desvantajoso já que, ao contrário da televisão por cabo, a Televisão Digital Terrestre é gratuita.

A resposta foi: "Ah mas temos um pacote de canais baratinho que só custa 13€!", procurando estabelecer uma comparação entre um valor a pagar por mês de 13€ e um valor pontual pago uma única vez, no montante de 40€. Como eu respondi que após 4 meses isso já seria mais caro que a TDT, optou por destacar que iria com isso ter direito a vários canais de televisão ao contrário da TDT que apenas tem os 4 "tradicionais".

Seguiu-se um ainda apreciável desfilar de vantagens da adesão à Zon em relação à compra de um descodificador de TDT mas, invariavelmente, a sua argumentação esbarrou na minha intransigência e após alguns minutos, o telefonema chegou ao fim sem que senhora tivesse conseguido os seus intentos.


A Televisão Digital Terrestre é grátis*!

Que queiram vender um serviço de televisão paga pela diversidade e quantidade de canais ainda vá, agora, tentarem sequer fazer perceber que é mais vantajoso em termos económicos do que a adesão à TDT é uma completa falácia.

A TDT destina-se simplesmente a substituir o antigo sinal analógico, segundo a UE para obter um melhor aproveitamento das frequências electromagnéticas, ao mesmo tempo que oferece serviços de interação com a televisão impossíveis na antiga transmissão.


Para saberem tudo sobre a TDT informem-se neste site!

* Isto se não considerarmos a obrigatória taxa audiovisual que todos os meses vem incluída na factura de electricidade que na prática é apenas mais um imposto.


Read more: http://dokatano.blogspot.com/2011/06/televisao-digital-terrestre-tdt-vs-zon.html#ixzz1O7WVCKCx

Portugal vai pedir indemnização à UE por prejuízos com os pepinos

Portugal vai pedir indemnização à UE por prejuízos com os pepinos