NOTA


Os textos assinados por outrem ou retirados de outros blogs ou sítios não reflectem necessáriamente a opinião ou posição do editor do "desenvolturasedesacatos"

sábado, 30 de abril de 2011

SOL 30 ABRIL 2011 - Carta de Henrique Raposo a Jorge Coelho - MOTA - ENGIL

Carta de Henrique Raposo a Jorge Coelho
Caro Dr. Jorge Coelho, como sabe, V. Exa. enviou-me uma carta, com conhecimento para a direcção deste jornal. Aqui fica a minha resposta.
Em 'O Governo e a Mota-Engil' (crónica do sítio do Expresso), eu apontei para um facto que estava no Orçamento do Estado (OE): a Ascendi, empresa da Mota-Engil, iria receber 587 milhões de euros. Olhando para este pornográfico número, e seguindo o economista Álvaro Santos Pereira, constatei o óbvio: no mínimo, esta transferência de 587 milhões seria escandalosa (este valor representa mais de metade da receita que resultará do aumento do IVA). Eu escrevi este texto às nove da manhã. À tarde, quando o meu texto já circulava pela internet, a Ascendi apontou para um "lapso" do OE: afinal, a empresa só tem direito a 150 milhões, e não a 587 milhões. Durante a tarde, o sítio do Expresso fez uma notícia sobre esse lapso, à qual foi anexada o meu texto. À noite, a SIC falou sobre o assunto. Ora, perante isto, V. Exa. fez uma carta a pedir que eu me retractasse. Mas, meu caro amigo, o lapso não é meu. O lapso é de Teixeira dos Santos e de Sócrates. A sua carta parece que parte do pressuposto de que os 587 milhões saíram da minha pérfida imaginação. Meu caro, quando eu escrevi o texto, o 'lapso' era um 'facto' consagrado no OE. V. Exa. quer explicações? Peça-as ao ministro das Finanças. Mas não deixo de registar o seguinte: V. Exa. quer que um Zé Ninguém peça desculpas por um erro cometido pelos dois homens mais poderosos do país. Isto até parece brincadeirinha.
Depois, V. Exa. não gostou de ler este meu desejo utópico: "quando é que Jorge Coelho e a Mota-Engil desaparecem do centro da nossa vida política?". A isto, V. Exa. respondeu com um excelso "servi a Causa Pública durante mais de 20 anos". Bravo. Mas eu também sirvo a causa pública. Além de registar os "lapsos" de 500 milhões, o meu serviço à causa pública passa por dizer aquilo que penso e sinto. E, neste momento, estou farto das PPP de betão, estou farto das estradas que ninguém usa, e estou farto das construtoras que fizeram esse mar de betão e alcatrão. No fundo, eu estou farto do actual modelo económico assente numa espécie de new deal entre políticos e as construtoras. Porque este modelo fez muito mal a Portugal, meu caro Jorge Coelho. O modelo económico que enriqueceu a sua empresa é o modelo económico que empobreceu Portugal. Não, não comece a abanar a cabeça, porque eu não estou a falar em teorias da conspiração. Não estou a dizer que Sócrates governou com o objectivo de enriquecer as construtoras. Nunca lhe faria esse favor, meu caro. Estou apenas a dizer que esse modelo foi uma escolha política desastrosa para o país. A culpa não é sua, mas sim dos partidos, sobretudo do PS. Mas, se não se importa, eu tenho o direito a estar farto de ver os construtores no centro da vida colectiva do meu país. Foi este excesso de construção que arruinou Portugal, foi este excesso de investimento em bens não-transaccionáveis que destruiu o meu futuro próximo. No dia em que V. Exa. inventar a obra pública exportável, venho aqui retractar-me com uma simples frase: "eu estava errado, o dr. Jorge Coelho é um visionário e as construtoras civis devem ser o Alfa e o Ómega da nossa economia". Até lá, se não se importa, tenho direito a estar farto deste new deal entre políticos e construtores.

Festa da Pinha 2007

VEM AÍ A FESTA DA PINHA ! - 2 DE MAIO DE 2011 EM ESTOI









    palácio de Estoi


Realiza-se no dia 2 de Maio de 2011  mais uma vez a tão tradicional Festa da Pinha em Estoi, esta festa realiza-se em todos os anos e pensa-se que tenha mais de um século de existência.

Para vos explicar melhor a origem desta tão antiga festa, tenho que recuar algum tempo, quando as pessoas de Estoi e de outras zonas do interior do Algarve, saiam de suas terras em direcção ao Alto Alentejo e as Beiras Interiores, para trocar ou comercializar os produtos da região que produziam, como por exemplo o figo, a amêndoa, a alfarroba, entre outros, trazendo de volta produtos dessas regiões ou dinheiro.

Como essas viagens eram longas e perigosas, os Almocreves, prometiam a Nossa Senhora do Pé da Cruz, que se fizessem essa viagem, de ida e volta, sem problemas, no dia 2 de Maio, fariam uma espécie de peregrinação a Ludo (pinhal perto de Almancil), onde festejavam a boa viagem feita, com um piquenique com comida abundante e bebida em maior quantidade e de lá traziam pinhas e alecrim para depositar uma fogueira em honra da santa padroeira dos Almocreves (N.ª Sr.ª do Pé da Cruz) na aldeia de Estoi.

À noite quando os Almocreves regressavam a Estoi, usavam archotes para se iluminarem no caminho pois nessa altura ainda não havia luz eléctrica e também para afugentarem os lobos que os tentavam atacar pelo caminho, e faziam a subida pela aldeia ate a Igreja do Pé da Cruz, gritando “VIVA À PINHA!!…VIVA À PINHA!!!”, quando chegavam a dita igreja depositavam as pinhas e o alecrim na fogueira como já referi anteriormente.

Existe também um traje característico da Festa da Pinha que é: Botas do campo, calças pretas, cinta preta ou vermelha por cima de camisa branca, colete preto, castanho ou cinzento, e um lenço vermelho e chapéu de feltro.



Ainda nos dias de hoje, apesar de já não haver Almocreves, se cumpre este tradição, na parte da manhã os “Almocreves” (que nos dias de hoje fazem-se passar por essa profissão por um dia) partem para Ludo, montados nos seus cavalos, charretes, tractores ou camiões enfeitados com flores, palmeiras e outras flores do campo, onde fazem um piquenique nos pinhais, e na parte da tarde, cerca das 18.30 saem de Ludo em direcção a Estoi, onde por volta das 22.30 fazem a subida a aldeia de Estoi, com os archotes iluminando toda a rua principal de Estoi, gritando “VIVA A PINHA!…VIVA A PINHA!” até à fogueira instalada junto à igreja do Pé da Cruz.

POETAS POPULARES DE SANTA BÁRBARA DE NEXE

José Vitorino Murta de Sousa

A MAIOR RIQUEZA

mote

Nesta vida alegre e bela
a saúde é a maior riqueza
quando se fica sem ela
até se inveja a pobreza

I

Corre-te tudo de feição
gastas dinheiro sem cautela
és um sortudo meu irmão
nesta vida alegre e bela

II

Julgas-te o dono do mundo
com toda a tua grandeza
mas se pensares bem a fundo
a saúde é a maior riqueza

III

Quem tem dinheiro e amor
o mundo é uma aguarela
e só á saúde se dá valor
quando se fica sem ela

IV

E quando o dinheiro não paga tudo
vem ao de cima a pureza
e num gesto desesperado e absurdo
até se inveja a pobreza

conclusão

Se queres ser bom cavalheiro
não gozes do vagabundo
porque ele sem ter dinheiro
pode ser o mais rico do mundo

autor : José Vitorino Murta Sousa
poeta popular de Santa Bárbara de Nexe

Olha como danço ... Tempo agreste.



Olha
como danço
com as papoilas
de pés molhados
na maré cheia...



olha
este meu ar
de vento
e de encanto
porque
em ti
consigo
sentir o mar!


(imagem: Karen Kilimnik)


PRODUTOS NACIONAIS

Gourmet: Vem do mar

Loja Valbom
Loja Valbom
Na Loja Valbom, uma pequena peixaria com tradição na Avenida Conde Valbom desde 1971, agora com nova direcção, encontra uma cuidada selecção de congelados, do pescado em postas individuais às refeições pré-cozinhadas, que pode transformar, em meia hora, num jantar caseiro.
Mas também encontra condimentos em torno do peixe, tão decorativos quanto saborosos: frascos e sacos de juta de flor do sal, azeite artesanal, vinagre de vinho do Alentejo. E, para um fim de boca, algumas delícias inesperadas, como as sardinhas do mestre chocolateiro Michel Cluizel. 

www.maxima.pt

GNR detém condutor “alucinado”, que via guardas como “bichos”





GNR detém condutor “alucinado”, que via guardas como “bichos” Insólito Autor: Redação | Leitores: 2733 Sexta, 29 Abril 2011 10:27



Uma fuga no IP8 durou mais de 130 quilómetros, com um condutor a persistir em manobras perigosas, entre as quais condução em contramão. A GNR pôs só conseguiu deter o fugitivo em Pegões, Montijo. Daniel Alves, de 41 anos, explicou o motivo deste ato inconsciente: “Eu estou alucinado. Os guardas pareciam bichos”.



O caso ocorreu ontem e começou na zona de Ferreira do Alentejo e terminou no Montijo, com o carro atolado num banco de terra de um caminho rural. Pelo meio, Daniel Alves poderia ter causado acidentes. Ultrapassagem após ultrapassagem, pôs em risco dezenas de condutores.

Mas 136 quilómetros depois, os militares da GNR puseram termo à fuga e abordaram o condutor. Alucinado ou com muita imaginação, explicou-se. “Estou completamente alucinado. Os guardas eram bichos e eu tinha de fugir”, disse, confessando o consumo de uma mistura de drogas, entre as quais cocaína.

Pelo caminho, Daniel Alves conduziu em contramão, passou sinais vermelhos, ultrapassou em zonas perigosas, pisou linhas contínuas, circulou em sentido inverso em diversas rotundas, numa fuga aos “bichos” que poderia ter-lhe custado a própria vida e a de terceiros.

Mais: antes, abastecera numa bomba de gasolina sem pagar. Ainda tentou atingir os guardas com objetos que tinha no carro, durante a sua fuga, e foi fazendo gestos obscenos aos militares que tentavam pôr termo à aventura.

Fez teste de alcoolemia, que acusou negativo, mas acabou detido, com duas facas na sua posse, e transportado para o Hospital de Beja. Aguarda inquérito em liberdade

ESTA GENTE ! - Quadro e poema de Sophia de Mello Breyner

Wilson,York
mercado

ESTA GENTE

Esta gente cujo rosto
Às vezes luminoso
E outras vezes tosco

Ora me lembra escravos
Ora me lembra reis

Faz renascer meu gosto
De luta e de combate
Contra o abutre e a cobra
O porco e o milhafre
...

Sophia de Mello Breyner Andresen, esta gente,






Desde 2007 as ajudas aos bancos europeus custaram aos Estados mais de 69 mil milhões de euros

Os défices e as dívidas de uma dezena de países europeus aprofundaram-se em 2010 por causa dos apoios concedidos aos bancos. Segundo os números compilados pelo Eurostat, a França é o país que, pelo contrário, mais ganhou com esses apoios.

Em 2008 e 2009, o défice global da União Europeia aprofundou-se em 0,1% do PIB por causa dos diferentes apoios concedidos.
Em 2010, a situação ainda se agravou mais com um “buraco” de 0,4% do PIB da União Europeia. O custo desses apoios atingiu cerca de 44 mil milhões de euros, cerca de três vezes superior à do ano anterior (15 mil milhões). Em três anos, o custo ultrapassou os 69 mil milhões.

Estes números não contemplam as medidas tomadas pelos bancos centrais, os apoios ao sector não financeiro e as medidas mais gerais de apoio à economia. 

Situações muito diversas

As situações divergem muito de país a país. Sem surpresa é a Irlanda, onde as intervenções se concentraram em grandes bancos, como o Anglo Irish Bank e a Irish Nationwide Building Society,  quem mais sofreu com o impacto sobre o défice do país, na ordem de 20.7% do PIB. No total o custo destas diferentes ajudas está avaliado em quase 36 mil milhões de euros desde 2009, o ano das suas primeiras intervenções. É quase metade do custo total registado nos 27 países da União entre 2007 e 2010.



Outros exemplos: as ajudas públicas aprofundaram o défice da Alemanha em 0,4% em 2010 e engordaram a sua dívida de 9,5% do PIB. Em Portugal, o impacto é de 1% sobre o défice e 2,1% sobre a dívida.

Uma mão cheia de países, como a Alemanha, a Irlanda ou o Reino Unido, devem ainda gerir os activos tóxicos alojados em carteiras específicas ou nos bancos públicos.

O Eurostat sublinha aliás que “nalguns casos”, as medidas de intervenção não têm um impacto imediatamente mensurável sobre o défice. O organismo convida as autoridades de estatística de cada país a vigiar as futuras evoluções destas intervenções e de as registar se houver necessidade disso “como despesas do Estado que têm impacto sobre o défice“.

Em todo o caso, uma dezena de países souberam tirar o cavalinho da chuva. “Em certos países europeus, os défices públicos foram ligeiramente reduzidos graças às intervenções dos governos, resultantes da alta de rendimentos gerados pelos pagamentos dos custos de garantia e os encargos de juros dos instrumentos financeiros adquiridos pelos Estados (empréstimos e títulos de dívida)”, sublinha o Eurostat.

A redução mais importante do défice ocorreu na Dinamarca com uma subida de 0,3% do PIB sobre o período 2008-2010.

Em França, a redução do défice é da ordem de 0.1% como na Bélgica, Espanha, Eslovénia e Suécia.

Em montantes absolutos, a França fica mesmo à cabeça dos países da União para quem as ajudas constituíram um ganho financeiro com um total de 2,4 mil milhões de euros que vieram reforçar o orçamento do Estado entre 2008 e 2010. 

(a partir do texto escrito pela jornalista Rejane Reibaud)

A CONSTITUIÇÃO PORTUGUESA E O FMI

Sábado, 30 de Abril de 2011
O FMI E A CONSTITUIÇÃO

Damos
inicio a um conjunto de escritos que visam chamar a atenção para questões
relacionadas com o provável acordo com o FMI e suas consequências para o Povo
português.

Desde
logo porque as medidas previstas naquele acordo implicam a alteração da Constituição
da Republica portuguesa, a nossa Lei Fundamental, substituindo-se assim a
soberania do Povo pela soberania das instituições financeiras, o que deve
merecer o repudio de todos os portugueses.

Todos
aqueles que juraram o cumprimento da Constituição, a começar pelo Presidente da
Republica, vão agora dar o dito pelo não dito e aprovar uma alteração
determinada por razões ocasionais, a dita crise financeira, tal como no passado
o fizeram por razões de desenvolvimento económico. A verdade é que as alterações
introduzidas ao longo das legislaturas, se mostraram ineficazes quer do ponto
de vista económico, do ponto de vista do desenvolvimento social ou do ponto de
vista da prevenção ou fiscalização dos actos da gestão publica e que conduziram
o País para a bancarrota.

A
ser necessária alguma revisão constitucional, seria no sentido de salvaguardar
que os responsáveis políticos pela actual crise pudessem ser julgados e condenados pela gestão que fizeram
dos recursos postos ao seu dispor.

A
revisão constitucional que se antevê irá retirar, restringir, diminuir direitos
e garantias ao Povo e por isso o Povo deve ser chamado a pronunciar-se em
matéria que lhe diz directamente respeito.

Assim
temos a classe politica dirigente a torcer por uma revisão constitucional que
lhes permita continuar a governar a seu bel-prazer e o Povo a torcer pela
necessidade de uma mudança radical de politicas. Não se achará senão justo que
quem paga a factura seja o principal interveniente no processo de decisão.
Fazerem acordos nas costas do Povo sem o
ouvir é criminoso e por isso o acordo deve ser precedido de um referendo.
Lê, assina e divulga a petição para o referendo ao acordo com o FMI em: http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=P2011N9329

sexta-feira, 29 de abril de 2011

A CATEDRAL DA LUZ PINTADA DE BRANCO

   pub tecelao - Carpinteira

Temporal em Monchique 29/04/2011 parte 4



MONCHIQUE 29 ABRIL 2011 TEMPORAL

Temporal em Monchique 29/04/2011 parte 4



A ZONA DE MONCHIQUE NO ALGARVE TAMBÉM SOFREU COM O TEMPORAL

Granizada em Benfica 29 de Abril de 2011

Benfica, Lisboa, granizo fim de Abril

Benfica - Temporal 29-04-2011

Temporal em Benfica, Lisboa - 2011-04-29

Temporal na Amadora - Lisboa 29/4/2011

Chuva em Lisboa dia 29/04 as 16hrs

VIOLENTA TROVOADA EM LISBOA E TEMPORAL COM CHUVA E GRANIZO- VEJA OS VÍDEOS


Lisboa de branco com Granizo Veja os vídeos Umaviolenta trovoada e um temporal de chuva e granizo estão a assolar desde as 15,40 horas desta sexta-feira parte da cidade de Lisboa, nomeadamente na zona de Benfica, provocando a interrupção do trânsito na segunda circular. JN

Para o FMI e Banco Central Europeu, hoje á porta do Ministério das Finanças.

Para o Fundo Monetário Internacional e Banco Central Europe
Por favor não permitam que o vosso dinheiro entre em Portugal.
O dinheiro emprestado é mau para o povo Português.
Será esbanjado (estragado) e vocês serão cumplices.
Se não o receberem de volta, depois não se queixem.
Deixem-nos viver com o que temos.
O Governo Português fez leis e "truques" para me roubar.
Talvez um dia venha a fazer-vos o mesmo.
Tenham atenção (cuidado).
Melhores cumprimentos
.
Abril 2011
António Cardoso
blog Arre Macho

OS SOBRINHOS DO ASSASSINO DA PIDE/DGS QUEREM SER INDEMINIZADOS


  somos acusados, pelos sobrinhos de Silva Pais, do...s crimes de difamação e ofensa à memória de pessoa falecida.

No banco dos réus!!!
Dia 3 de Maio, pelas 9h15, um julgamento que nos remete para os tempos da ditadura… Margarida Fonseca Santos (autora), Carlos Fragateiro e José Manuel Castanheira (ex-directores do Nacional D. Maria II) – somos acusados, pelos sobrinhos de Silva Pais, do...s crimes de difamação e ofensa à memória de pessoa falecida. No seu entender, denegrimos a imagem do último director da PIDE com a adaptação para teatro do livro A Filha Rebelde (de José Pedro Castanheira e Valdemar Cruz), feita para o TNDM em 2007, com encenação de Helena Pimenta. O Ministério Público não acompanhou a queixa. Conquistámos, no 25 de Abril, a liberdade de expressão, que está agora posta em causa. Mas, mais grave ainda, esta é uma tentativa de branquear a imagem daquele que foi o responsável máximo da PIDE – a polícia política que perseguiu, torturou e matou muitos opositores ao regime, entre eles o General Humberto Delgado. Pedimos que divulguem isto aos quatro ventos. (http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=12515) Ver mais - calque no link a azul atráz se faz favor.
Por: Margarida Fonseca Santos

ESTE O ASSASSINO


ESTES SÃO OS ACUSADOS







Vão proibir a cidreira, a lucia lima ( bela Luísa ), a hortelã, etc. leiam que é importante

Vão proibir a cidreira, a lucia lima, a hortelã, etc. leiam que é importante
Amigos, por favor, a todos, vejam a mensagem de 10 minutos de vídeo até ao fim. Isto interessa a todos, mesmo os que não entendem bem o inglês, devem tentar, porque é muito importante.
E assinem. As assinaturas já passam de 1/3 de milhão, isto assim rapidinho passa de vários milhões...
É já dia 30 de Abril :-(

Sabiam que o chá de cidreira está prestes a tornar-se ilegal? E o alho... e todas as muitas e muitas plantas usadas desde sempre!!! Acabou-se, a partir do fim deste mês uma normativa europeia vai proibir o uso de plantas em terapias naturais... Fitoterapia, naturoterapia, herbalismo....
Vamos perder a pouca tradição que ainda é nossa e pior vão acabar com as nossas alternativas aos medicamentos das grandes farmacêuticas!
Podemos coexistir e cada um toma a sua decisão em relação a terapias naturais. Mas esta directiva interfere na nossa/sua saúde.
Trata-se da directiva 2004/24/CE relativamente à qual tem havido o maior silêncio da parte dos órgãos da comunicação em todos os países da EU, durante estes sete anos que precederam a sua implementação. Como é costume, os órgãos da comunicação mantêm o cidadão entretido com telenovelas, futebol e escândalos, mas “esquecem-se” de assuntos verdadeiramente do interesse público e que dizem respeito à saúde, à educação e à justiça, desde que os mesmos não sirvam os interesses dos grupos que controlam a economia, não para benefício do cidadão mas para deles mesmos. O véu começou a ser levantado e alguns cidadãos mobilizam-se. Em virtude das despesas que esta directiva exigirá dos fabricantes de produtos da medicina natural, nós, cidadãos europeus, ficaremos privados de milhares de plantas medicinais durante decénios.

A directiva em questão visa proibir as preparações à base de plantas medicinais, por exemplo a infusão de tomilho, as cápsulas ou drageias de alho, de ginko biloba e muitas outras. Esta proibição é camufalada através da exigência de processos de aprovação que custam mais de 100 mil euros e que, ainda por cima, devem estar concluídos até 30 de Abril de 2011. O que é impossível. E isto para que os laboratórios farmacêuticos continuem a vender os seus fármacos e a envenenar a saúde pública... num eterno processo em que o suposto medicamento que cura a doença – e não faz mais do que camuflar os sintomas sem eliminar a origem – vai provocar outros problemas de saúde necessitando outros medicamentos, medicamentos esses que, por vezes, conduzem a situações desesperadas, como é o caso do Médiator, medicamento indicado no tratamento dos diabetes, felizmente hoje retirado da venda, mas até isso acontecer... terá feito mais de 500 mortos.


E peço-vos passem a todos os vossos contactos. Já notaram o silêncio que anda no ar em relação a isto? Se formos muitos a assinar talvez ainda dê....

É natureza e não há nada mais livre que isso. É a nossa liberdade. 

 http://www.savenaturalhealth.eu/

Obrigado a todos.

TRÓCA - TINTAS EM GUERRA ! INSULTOS ENTRE JOSÉ LELLO E NOGUEIRA LEITE



José Lello diz que Nogueira Leite quer 'abifar uns tachos'
28 de Abril, 2011
Depois de dizer que Cavaco Silva é um presidente «foleiro» no Facebook, José Lello acusou o social-democrata António Nogueira Leite de pertencer «à classe de trânsfugas» e de querer «abifar uns tachos», escreve o Público. Nogueira Leite começou por chamar Lello de «ciber-nabo» no Facebook, depois de o socialista ter explicado que a mensagem sobre Cavaco era dirigida apenas a um amigo no chat, mas que saltou para o seu mural.
Lello reagiu outra vez na rede social, como escreve o Público: Nogueira Leite «pertence àquela classe de transfugas políticos, ditos independentes que, saltitando, apenas visa 'abifar uns tachos', pois ideologia é coisa que arde sem se ver».
Mas não ficou por aqui. «Agora aderiu a Passos Coelho, perdão, ao PSD. Já se via até ministro. Azar dele! As expectativas de vitória caíram para perspectivas de derrota. Depois, alienado, passou de protegido do chefe para um papel secundário, o de bardo de Asterix! Quem é o nabo, quem é?», pergunta José Lello ao conselheiro económico de Passos Coelho.
Mas nem Manuel Maria Carrilho escapa às críticas de Lello, que publicou a seguinte mensagem depois da entrevista de Sócrates na TVI: «MM Carrilho disse que gostou do pupilar dos pavões. Não estranhou. Porventura, porque se sentiu em família!», cita o Público.
SOL
Submarino "Arpão" chega sábado à Base Naval de Lisboa
De acordo com a mesma fonte, o "Arpão" tem hora prevista de chegada à Base Naval de Lisboa (BNL) às 10:30 de sábado, não estando prevista nenhuma cerimónia para assinalar publicamente a receção do novo equipamento.
Citando o Chefe de Estado-maior da Armada (CEMA), Almirante Saldanha Lopes, o semanário Expresso noticiou hoje na sua edição "on-line" a chegada sábado do novo submarino
................
 O segundo submarino comprado por Portugal foi recebido provisoriamente em Dezembro na Alemanha.   O 'Tridente', primeiro submarino encomendado por Portugal à empresa alemã Ferrostaal a ser entregue, chegou a Portugal em Agosto do ano passado.  A aquisição dos dois submarinos custou a Portugal cerca de mil milhões de euros.   À semelhança do Tridente, a guarnição do Arpão conta com 33 militares, dos quais 7 são oficiais, 10 sargentos e 16 praças.    O submarino atinge uma velocidade máxima de 20 nós e tem uma autonomia máxima de 45 dias, possuindo "capacidade para lançar mísseis, de defesa aérea e luta de superfície, capacidade para lançar torpedos, de luta de superfície e subsuperfície", refere a Marinha portuguesa.
António Garrochinho

Sexta-feira, 29 de Abril de 2011


PORTUGAL PREPARA NOVO ACORDO ORTOGOGRÁFICO

Depois do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa começar a entrar (paulatina mas não docemente) no nosso quotidiano, Portugal começa já a pensar num novo acordo ortográfico.

Pensarão alguns: entretanto o português do Brasil já mudou tanto que lá temos que ceder a mais umas quantas alterações. Não, por enquanto não se trata disso.

O novo acordo ortográfico vai ser celebrado com a Commonwealth (comunidade de países com relações históricas com o Reino Unido e onde se fala, sobretudo, o inglês). O objectivo, tal como aconteceu em relação ao acordo que fizemos para ficarmos todos a falar “brasileiro”, é introduzir (sem tradução) os milhares de palavras em inglês que usamos no nosso dia-a-dia. Basta “passarmos” pelas áreas da informática ou da economia/gestão (para não mencionar outras) e reparamos que já quase não utilizamos vocábulos portugueses.

Vou apenas enumerar 20 palavras inglesas que usamos naturalmente, mas os nossos leitores facilmente poderão acrescentar mais umas quantas na caixa de comentários: download, franchising, chip, bit, backup, catering, check-in, design, bug, cocktail, bulldozer, flash, doping, jeans, hardware, email, holding, ketchup, fax, kit
O homem das tabernas.

Simpatizante, inscrito, mas sem pagar quotas !







O candidato presidencial e fundador da AMI inscreveu-se em 1993, mas nunca pagou as quotas. Não obstante, a Causa Real conta com ele

O candidato presidencial e fundador da AMI, Fernando Nobre, é um dos mais de dez mil portugueses filiados na Causa Real. Nobre filiou-se em Lisboa no início de 1993, mas nunca chegou a pagar qualquer quota. Nem a primeira. “Continua a ser nosso filiado”, disse ao Expresso uma fonte da Real Associação de Lisboa, onde Nobre tem a sua ficha de inscrição. “Nunca nos comunicou a sua desistência, nem veio levantar o boletim de filiação. Portanto, ainda consta dos nossos ficheiros”. Simpatizante do regresso de um regime monárquico para Portugal e filiado há 17 anos, Fernando Nobre manifestou-se indisponível para falar ao Expresso sobre o assunto. Há muito anos que o candidato à mais alta magistratura do Estado se assumiu como simpatizante. Já em Fevereiro, numa entrevista dada à revista “Sábado”, Fernando Nobre confirmou ter pertencido à Causa Real, mas diria também que agora era apenas simpatizante, acrescentando: “A História de Portugal não começou em 1910. Temos quase nove séculos de Historia. Vamos apagar oito e olhar para os últimos 100 anos?”.

Apesar desta filiação. Nobre afirmou mais recentemente em entrevistas ao “DN” e à TSF que era uma inverdade ser monárquico. É sim republicano. A verdade é que a sua inscrição como filiado da Causa Real se mantém intacta e jamais foi reclamada.

Fernando Nobre é também presidente da Assembleia Geral (com o mandato suspenso) do Instituto da Democracia Portuguesa (IDP), um organismo de reflexão que é assumidamente “simpatizante de uma monarquia democrática”, referiu ao Expresso Mendo Castro Henriques, presidente da instituição. O instituto tem, aliás, no pretendente ao trono o seu presidente de honra e dos seus órgãos sociais fazem parte outros monárquicos, como o arquiteto Ribeiro Telles ou Diana Álvares Pereira de Melo, duquesa de Cadaval.

Fernando Nobre partilha também o gosto por ideais maçónicos da mais importante corrente portuguesa, o Grande Oriente Lusitano (GOL). A iniciação de Nobre aconteceu em Viseu.

Fonte: Expresso nº 1972 de 14 de Agosto de 2010, p. 15

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Protesto Contra as Portagens na A22



Segunda-feira, 25 de Abril de 2011
Farto de Promessas, 3 Porticos da Via do Infante foram incendiados!


Portagens: Incendiadas três estruturas de apoio aos pórticos na Via Infante
Três estruturas de apoio ao funcionamento dos pórticos na Via Infante de Sagres (A22), no Algarve, foram hoje de madrugada incendiadas, disseram à Lusa fontes da GNR.

As estruturas vandalizadas são pequenas casas de betão onde está resguardado o equipamento elétrico para o funcionamento das futuras portagens.

A GNR precisou que o incidente ocorreu em Boliqueime, Loulé e Olhão entre as 03:00 e as 06:00.

A ação terá sido concertada e em simultâneo e consistiu na colocação de pneus a arder dentro das casas, cujas portas foram arrombadas, acrescentou.

Este caso está a ser investigado pela Polícia Judiciária.

A colocação de portagens na Via Infante tem gerado vários protestos, inclusive de espanhóis que consideram a introdução de portagens naquela via um recuo de trinta anos ao tempo em que não existia uma ponte de ligação entre o sul de Portugal e Espanha.

As fundações para instalar os pórticos na A22 começaram a ser construídas em fevereiro.

A Via Infante de Sagres liga Vila Real de Santo António a Lagos/Bensafrim, numa extensão de 130 quilómetros.
Noticia do Região Sul on line.
Nota do Olhão Livre as pessoas começam a revoltar-se contra as promessas do PS que prometeram não haver portagens da Via do Infante,para conseguirem ganhar as eleições e agora adiaram as mesmas portagens para depois das eleições, só com o intuito de ganharem votos para a seguir às eleições activarem essas portagens.
Resultado 3 pórticos foram incendiados, para que as pessoas não se esqueçam do que vem aí a seguir às eleições.
Pois como podemos ver no Publico on line, também na saude os governantes cortam em todo o lado,agora querem cobras os medicamentos aos doentes crónicos da hepatite B,depois de já terem cortado certos medicamentos aos doentes oncológicos com mais de 60 anos,e depois da semana passada na Maternidade Alfredo da Costa andarem a fazer colecta de fundos, e a pedir fraldas a quem está internado.
Enquanto os mentores do 25 de Abril, e os governantes, gordos e anafados celebram o 25 de Abril de cravo na lapela, com discursos de atordoar o povo, e de prestação de vassalagem ao FMI, outros caso de Sócrates que se apressa em cortar fitas, há no entanto cidadãos que já descrentes, se começam a revoltar, e passam das palavras aos actos, e o resultado está à vista.
pub Costa
blog Olhão Livre

Aumenta pressão especulativa sobre a Grécia
FMI arruína Grécia
Colapso iminente
Um ano após o governo grego ter colocado o país nas mãos do FMI e das instituições europeias, a situação financeira não só não melhorou como, pelo contrário, aumentaram os riscos de bancarrota.

Image 7396

Quando pediu «ajuda», o governo social-democrata justificou-se com taxas de juro incomportáveis que na altura atingiam os 10,2 por cento. Porém, na semana passada, dia 21, os empréstimos a dois anos alcançaram a extraordinária taxa de 23 por cento, na sequência da divulgação de um rumor sobre um iminente pedido de renegociação da dívida por parte de Atenas.
No mesmo dia, os «mercados» exigiram 16,7 por cento de juros por montantes a cinco anos e 14,9 por cento por um prazo de dez anos.
Por trás desta pressão especulativa parece ter estado a informação veiculada pelo grupo financeiro norte-americano Citigroup de que o governo helénico estaria a intensificar as conversações sobre a reestruturação da dívida.
Apesar dos desmentidos oficiais, e independentemente de o rumor ter sido motivado por óbvios objectivos de agiotagem, a verdade é que o governo grego dá crescentes sinais de desespero.
Tendo imposto um severo programa de austeridade que reduziu fortemente o poder de compra das massas e mergulhou a economia na maior recessão do pós-guerra, a equipa de Papandreu anunciou recentemente um novo pacote de cortes sociais, visando poupar 26 mil milhões de euros.
Há dias, decidiu apelar ao espírito patriótico dos residentes no estrangeiro para que comprem dívida no valor de dois mil milhões de euros. A operação será montada nos EUA, país onde vivem 61 por cento dos emigrantes gregos.
Seguir-se-á um vasto plano de privatizações, avaliado em 50 mil milhões de euros, que entregará o controlo de empresas públicas estratégicas às multinacionais alemãs e britânicas, já hoje detentoras de parte do capital.
Mas tudo isto parece insignificante quando comparado com as proporções da dívida grega: numa economia que gera anualmente cerca de 170 mil milhões de euros (PIB), o endividamento público e privado somados ultrapassam os 340 mil milhões de euros, tendo aumentado 41 mil milhões só em 2010, como referiu a secretária-geral do KKE, Aleka Papariga, num comício realizado dia 18, em Atenas, defendendo o cancelamento da dívida.
De resto, os próprios especialistas financeiros não duvidam da necessidade da reestruturação da dívida, prevendo a prazo a inevitável bancarrota da Grécia.
Todavia o grande capital europeu está interessado em arrastar a situação. Como também refere o Citigroup, o incumprimento da Grécia colocaria em sérias dificuldades colossos bancários europeus como, por exemplo, o Deutsche Bank, que detém 2430 milhões da dívida grega, ou o francês BNP Paribas, a braços com cinco mil milhões de euros.

Será que todos os associados gostam de Cavaco Silva ?



Os tempos actuais constituem um sério desafio para a credibilidade do projecto d...e uma Europa unida, tal como foi sonhada e concebida pelos seus fundadores, há várias décadas. Se a integração europeia for dominada pelos egoísmos nacionais, o projecto de uma União afasta-se do sonho dos seus fundadores e de grandes europeístas que se lhes seguiram, pois, verdadeiramente, não será de uma autêntica União de que falamos, mas de uma simples conjugação episódica de interesses de cada um dos Estados-membros.Ver mais

um estudo de mercado com coisas divertidas e outras não |



diogo leite campos e a miséria



o conceito de riqueza por um ministeriavel do PSD

quarta-feira, 27 de abril de 2011

BARCO AMBULANCIA PARADO HÁ 3 MESES, AINDA SEM DATA PARA VOLTAR Á ÁGUA

ambulância «Ria Solidária» Ainda Sem Data Para Voltar à Água
A embarcação de socorro de emergência e transporte de doentes «Ria Solidária» está desde fevereiro em terra, oficialmente para manutenção, e não tem ainda uma data prevista para voltar ao serviço.

A situação está a causar preocupação à população das ilhas-barreira da Ria Formosa, que estranha o tempo que está a demorar uma operação de rotina.

Contactado pelo «barlavento», o comandante da Força Operacional Conjunta (Focon) dos Bombeiros de Faro Aníbal Silveira esclareceu que o barco está parado «única e exclusivamente para manutenção» e que os bombeiros farenses, que são responsáveis pela embarcação que é propriedade do Governo Civil do Distrito de Faro, estão «dependentes das empresas» responsáveis pelos trabalhos para o voltar a colocar dentro de água.

Até lá, o socorro e transporte de doentes está assegurado pelo INEM e pela Marinha, acrescentou Aníbal Silveira.

«A emergência não está posta em causa. A Marinha, através do Instituto de Socorros a Náufragos (ISN), já disponibilizou uma embarcação e, em casos mais urgentes, pode ser acionado o helicóptero do INEM ou da Proteção Civil, ambos estacionados em Loulé, como já aconteceu para socorrer uma pessoa numa das ilhas», garantiu.

A estadia do barco-ambulância em terra foi denunciada na passada semana pelo movimento Com Faro no Coração (CFC), que considerou a situação «intolerável».

Também a presidente da Associação de Moradores da Ilha da Culatra (AMIC) Sílvia Padinha considerou que «três meses é muito tempo», apesar de compreender que a embarcação tenha de ser sujeita a manutenção ciclicamente.

«Neste momento, estamos a ser servidos por um semi-rígido de 6,5 metros do ISN, que não oferece as melhores condições de segurança, principalmente para pessoas com dificuldades motoras», ilustrou Sílvia Padinha. Esta era, de resto, a solução ao dispor dos ilhéus, antes da chegada do «Ria Solidária».

«Esta embarcação foi uma reivindicação da população das ilhas durante anos. Faz muita falta e sentimos a diferença. Sabemos que a manutenção leva algum tempo, mas já começa a ser estranha a demora», assegurou a presidente da AMIC.

Aníbal Silveira admite que a preocupação dos habitantes da Culatra é legítima e que eles saberão «melhor» o tempo normal para este tipo de intervenção. Mas sustenta que o caso está nas mãos das empresas contratadas. O atraso nos trabalhos poderá estar ligado ao facto de se estar a intervir nos dois motores de 150 cavalos, apurou o «barlavento».

«Os motores têm de ser vistos e o casco tem de ser pintado. Não quero arriscar uma data exata de quando estes trabalhos estarão concluídos, pois não sou técnico de nenhuma das áreas», referiu. Ainda assim, assegurou, o barco voltará ao serviço «seguramente antes do verão».

O barco-ambulância «Ria Solidária», a primeira embarcação do género em Portugal, foi adquirido pelo Governo Civil de Faro em 2008 e cedido à Associação Humanitária dos Bombeiros de Faro, que gere o corpo de voluntários da capital algarvia, para assegurar o serviço de apoio às ilhas-barreira.

Construído em Vila Real de Santo António, este barco foi feito à medida para permitir o embarque e o desembarque seguro de doentes, através de uma prancha que permite a entrada de macas e cadeiras de rodas.

Também foi instalado um Posto de Emergência Médica a bordo da embarcação.

Fonte: Barlavento

2CELLOS - Smooth Criminal

Bird Bullies Cat EPIC FAIL!!! w/YouTube Editor


Para defender o ninho que devia encontrar-se por ali, arriscou demais !

Final Taça Portugal - Lagoa Algarve 2010


    Quim Inácio & Daniel - uma equipe Algarvia em plena prova !


AtrelagemA origem da atrelagem é difícil de concretizar no tempo mas é certamente muito anterior à existência de Portugal. Existem muitos exemplos na antiguidade da forma como era feita a atrelagem nomeadamente nas civilizações Egípcia, Persa, Grega e Romana. A atrelagem em Portugal tem percorrido um longo caminho desde meio de transporte essencial para uma disciplina equestre ou para a atrelagem de lazer dos nossos dias. A atrelagem representa também uma parte importante na grande tradição equestre existente em Portugal.
A atrelagem é hoje uma disciplina equestre que consiste em conduzir um ou mais cavalos ou póneis atrelados geralmente a um veículo de duas ou quatro rodas. Existem três aspectos essenciais à atrelagem: os cavalos, as carruagens e a atrelagem propriamente dita. Podem ser usadas diversas raças de cavalos, de muitos países, para a atrelagem. Dentro das raças de cavalos Portugueses destaca-se o Lusitano uma vez que o campeonato do mundo de atrelagem já foi ganho por conjuntos que incluíam quatro cavalos Lusitanos (em 1996 e 2006). Certamente que existem muitos aspectos a referir em relação aos cavalos usados na atrelagem. Ao contrário da ideia que muitas vezes se veiculou, que os cavalos para engate seriam cavalos com menos aptidão, é importante num cavalo de engate não só a capacidade física do cavalo como também o seu temperamento. A forma como o é feito o maneio e a alimentação são também aspectos importantes para o desempenho do cavalo.
As carruagens que se usam na atrelagem são muito diversas. Hoje em dia fabricam-se réplicas, que são cópias das carruagens antigas e carruagens de concepção moderna normalmente destinadas à competição. As carruagens podem-se agrupar em carruagens de duas rodas e carruagens de quatro rodas e podem-se igualmente agrupar em carruagens abertas e carruagens fechadas. Existe um enorme número de modelos de carruagem, cada um com especificidades próprias na forma como são construídas e as características das suas rodas, suspensões, etc.
A atrelagem tem por isso a ver com os cavalos e as carruagens utilizadas e pode ser feita de diversas formas em função do número de cavalos e da sua disposição ao carro. A atrelagem requer uma preparação e treino específico do cavalo a atrelar. O ensino do cavalo é muito importante para que este possa dar o seu melhor rendimento. Por fim a condução do carro de cavalos requer não só perícia mas conhecimentos teóricos e práticos