AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quarta-feira, 2 de março de 2011

Barcos moliceiros, história, faina do moliço, poesia, imagens.

trabalhador na apanha do moliço

Moliceiro é o nome dado aos barcos que circulam na Ria de Aveiro, região lagunar do Rio Vouga. Esta embarcação era originalmente utilizada para a apanha do moliço, mas actualmente mais usados para fins turísticos.

É um dos ex-libris de Aveiro, em conjunto com os Ovos Moles e a Universidade de Aveiro. De entre os barcos típicos da região, o moliceiro é considerado o mais elegante; apesar da decoração colorida e humorística, é um barco de trabalho para a apanha do moliço, o qual era a principal fonte de adubagem nas terras agrícolas de Aveiro.
São barcos de borda baixa para facilitar o carregamento do moliço. Os moliceiros têm uma proa e uma ré muito elegantes que normalmente estão decorados com pinturas que ridicularizam situações do dia a dia. O comprimento total é cerca de 15 metros, a largura de boca 2,50 metros. Navega em pouca altura de água. O castelo da proa é coberto. Como meios de propulsão usa uma vela, a vara e a sirga. A sirga é um cabo que se utiliza na passagem dos canais mais estreitos ou junto às margens, quando navega contra a corrente ou contra o vento. É construído em madeira de pinheiro.

Sexta-feira, 1 de Agosto de 2008


POEMA «MOLICEIROS»

Vão no longe moliceiros
De asas brancas, a voar,
Ao vento, leves, ligeiros,
Por sobre a ria a singrar.
Vão no longe moliceiros
De grandes velas a arfar.

Andam na faina do dia,
Desde a manhã ao sol-pôr.
Buscam nas águas da ria,
— O moliço, verde cor.
Andam na faina do dia,
Colorido, encantador.





Vogam num lago de prata,
Circundado de cristal,
Qual sonho de serenata
Numa noite sensual!
Vogam num lago de prata
Sob o céu celestial.

Cortam as ondas de espuma
Pelas águas a boiar,
E essas vagas, uma a uma,
Vão mais longe desmaiar.
Cortam as ondas de espuma





Erguidas na preia-mar.
Parecem os bandos de aves,
Que no céu vão a subir,
E depois voltam, suaves,
Muito leves, a cair.
Parecem os bandos de aves,
A luz do sol a fugir.

Descrevem curvas serenas,
Como talhada magia,
Umas maiores, mais pequenas,
Duma estranha bizarria.
Descrevem curvas serenas
Nas transparências da ria.







As proas são rendilhadas
por coloridas pinturas,
Com frases adequadas
As populares formosuras.
As proas são rendilhadas,
São ornadas de figuras.

Vão no longe moliceiros,
De asas brancas a voar...
Singram na ria altaneiros,
A luz do sol, ao luar,
Vão no longe moliceiros,
— Majestoso deslizar!

Poema: Amadeu de Sousa
........................................

NA RIA


AO GRANDE AMIGO QUE NUNCA ESUECEREMOS !

ATENÇÃO A TODOS OS AMIGOS DO PINTO ( JOAQUIM ISIDRO ROSA )

por Antonio Garrochinho a Quarta-feira, 2 de Março de 2011 às 12:08




 NO PRÓXIMO DOMINGO DIA 6 DE MARÇO.    NOS BARREIROS VAI SER INAUGURADA UMA RUA COM O NOME DO NOSSO AMIGO .O EVENTO SERA ÁS 11 HORAS E É NA PROXIMIDADE DO CAFÉ DO TEOBALDO ( BARREIROS - ALMANCIL NEXE - SÃO LOURENÇO ). COMPARECE E DIVULGA A TODOS OS AMIGOS ESTA HOMENAGEM A UM HOMEM DA CULTURA DA NOSSA TERRA QUE MUITO FEZ NA DIVULGAÇÃO DA TRADIÇÃO CHAROLEIRA. PARTILHA ESTA PUBLICAÇÃO. A TODOS OS CHAROLEIROS DA NOSSA TERRA E NÃO SÓ, AGRADECEMOS QUE COMPAREÇAM !




  FLOR DE LIS É A UNIDADE
                    FLOR DE LIS É UMA PAIXÃO
                    FLOR DE LIS É A AMIZADE
                    PASSADA DE MÃO EM MÃO




PROTESTO ! MÚSICOS DE FARO - ARCM

Uma comitiva da Associação Recreativa e Cultural de Músicos (ARCM) deslocou-se a Lisboa, na passada semana, para ser recebida na Assembleia da República, pela 13.ª Comissão de Ética, Sociedade e Cultura.

Os representantes da ARCM foram recebidos pelos deputados Celeste Amaro (PSD), Miguel Freitas (PS), Rita Rato (PCP) e Catarina Martins (BE), que durante cerca de 90 minutos ouviram os motivos que levaram a associação a entregar, em janeiro, uma petição com 4340subscritores.

"Foram prestados esclarecimentos às questões colocadas pela comissão que, por sua vez está também a aguardar resposta de outras entidades a quem solicitou parecer. A ARCM considera muito positiva a forma como decorreu a reunião", refere a associação, em comunicado.

Contudo, a ARCM constata que apesar da problemática da ação de despejo sobre a atual sede, que está na origem da petição, ser pública desde março de 2010, só neste encontro, "quase um ano depois, foi possível um contacto formal com deputados dos dois maiores grupos parlamentares", uma vez que Rita Rato e Catarina Martins já tinham visitado o local.

"A ARCM espera que a discussão da petição em plenário na Assembleia da República contribua para o esclarecimento das instituições que deverão vir a ser intervenientes no encontrar de uma solução de realojamento definitivo, nomeadamente com a construção da futura sede", conclui-se.


in Região Sul
A defesa de Faro

Trajes Regionais Portugueses



BREVEMENTE NESTE BLOGUE UMA SÉRIE DE PUBLICAÇÕES DOS TRAJES TRADICIONAIS DE PORTUGAL -TRAJES DO CAMPO, DA CIDADE, CASAMENTEIROS ETC.