AVISO


OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturasedesacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá
obviamente, da minha aprovação que depende
da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não
contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente
com a excepção dos que o sistema considere como
SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam
a apologia do racismo, xenofobia, homofobia
ou do fascismo/nazismo.


quarta-feira, 30 de novembro de 2011

VAMOS AO BANHITO ?

Sem categoria


A mais poderosa Rainha espanhola , Isabel a Católica, que uniu os reinos de Castela e Aragão, reformou o Clero e patrocinou a viagem de Colombo à América, foi a mesma mulher que em 53 anos de vida apenas tomou dois banhos de corpo inteiro.
Os cuidados de higiene não eram o forte dos monarcas medievais e modernos. Luís XIV tinha medo da água e só tomava banho por ordem médica. Nos mosteiros do século VI só aos monges mais velhos era permitido banho no Natal e na Páscoa. No século XIII só se lavava a cara e as mãos e no Palácio de Versalhes em 1715, as fezes eram recolhidas dos corredores uma vez por semana. E até o nosso D. João VI de Portugal acreditava que a roupa absorvia a sujidade.
No entanto os Romanos esfregavam-se nos banhos públicos mas o Cristianismo, ao condenar o culto do corpo, provocou um retrocesso na evolução da higiene.
Mas foi no século XIX que se revoluciou a dita, surgindo a retrete, o chuveiro, o sabonete, o desodorizante e o papel higiénico.
Hoje, segundo a escritora Katherine Ashenburg os cuidados de limpeza deram um enorme salto “ Caiu-se no exagero da assepsia”.
E se o clima em muitos países continuar a mudar com secas de anos e anos , será que no futuro vamos fazer como os monges do século VI ? Banhito ? Só pelo Natal e na Santa Páscoa !
- – - – - Fonte: Rev.. Sábado -
http://www.louletania.com/

Sem comentários:

Enviar um comentário