AVISO


OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturasedesacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá
obviamente, da minha aprovação que depende
da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não
contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente
com a excepção dos que o sistema considere como
SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam
a apologia do racismo, xenofobia, homofobia
ou do fascismo/nazismo.


sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Manuel Duran Clemente - Ainda o 25 de Novembro de 1975

Manuel Duran Clemente

AINDA O 25 de NOVEMBRO de 1975

Este comentário é do ano passado e está os comentários da respectiva nota sobre este tema.Repito-o porque esclarece certas coisas pouco ou nada divulgadas...ao longo de 36 anos!!!

«Amigo Franco Charais:Tudo o que diz quanto à ordem de comutação da RTP da Lousã para o Porto não me merece dúvida.Antes, confirma a realidade.Da Lousã para cima a RTP estava a ser emitida pelos estudios do Porto!Para sul a emissão fez-se, até às 19h49, pelos estudios do Lumiar(Lisboa).Certo?
Não vieram tropas de páraquedistas para Lisboa.Nem indevidamente nem devidamente comandadas.As operações que eles(páras) fizeram foi de madrugada e limitaram-se a acções na zona das bases de Montereal e Cortegaça...e tinham a ver com uma desavença com o CEMFA,Morais Silva.
Quem veio a Lisboa foi uma delegação constituida,salvo erro, por um sargento e duas praças de paraquedistas do Regimento de Tancos, para na RTP explicar o que eles tinham feito,nessa madrugada, e quais as razões.
Foi-me pedido que lhes facultasse o acesso à RTP...(mas vou dizer-lhe uma coisa pouco conhecida: fez parte do "vosso plano" [como me foi confessado,anos depois] que alguns militares abandonassem as suas unidades e nos deixassem a alguns de nós a responsabilidade de comando...o que evidencia como naquele período a disciplina militar era infringida com certa facilidade...como sabe!É preciso estarmos no contexto da época,como ontem disse no debate com o VL).Por isso me vi de repente como o capitão mais antigo, no meu quartel, e implicitamente na posição de segundo comandante do mesmo,ou seja, da EPAM, Escola Prática de Administração Militar..Obrigado a tomar posição e a sofrer as consequências do que fizesse.
A EPAM é que fazia a segurança da RTP...quando recebi a indicação, que me foi trazida por um capitão Miliciano L.P.,vindo do SDCI,para conseguir colocar a comissão dos páras( no ar) na RTP...só tive de me deslocar para lá com uma companhia e respectivo comandante(capitão mais novo, S.V.,que tinha sido meu estagiário em Bissau e até um dos subscritores da carta de 50 oficiais de Bissau/Agosto 73)...Ainda falei para o COPCON...e conversei com Arnão Metelo....Otelo não estava...!!!Chegado aos estudios do Lumiar avisei a Administração da RTP que por razões de força maior...iria ser interrompida a Teleescola...e que ficavam detidos nos seus gabinetes.Nenhum mal lhes aconteceria...prometi e cumpri!Deixei-os sair ao fim da tarde!
Custou-me fazer isto ao Major Pedroso Marques...(Presidente da RTP)uma referência de antifascista...da tentativa de revolta de Beja,fundador da Acção Socialista...do meus serviço/SAM...por quem nutria simpatia!!!!Estavam também os então Tenente Eng.Cardeira,Alferes Geraldes e creio que o Canavilhas...!!!
A partir daqui funcionaram os tecnicos da RTP que puseram no ar os paraquedistas...que deram a sua explicação....repetida várias vezes durante a tarde!
Até que chegámos à hora do telejornal....e aconteceu o que já descrevi.
Nenhuma unidade atacou ninguém...não se percebe o espectáculo dos Comandos de Jaime Neves...Os fuzileiros não receberam ordens para sair...nem mais ninguém...Apenas o RPM (Reg. de Policia Militar) não se colocou sob o comando de Costa Gomes (que,após declarar o "estado de sitio",chamou a si o comando geral das F.A.s...) e esse facto motivou o confronto entre Comandos e PM (na calçada da Ajuda e respectivo portão do RPM).
Rosa Coutinho (e Martins Guerreiro?) terão tido influência neste acto... de não confronto armado,mais alargado!!!
Melo Antunes teve a capacidade de perceber que se as coisas não acalmassem...a seguir seria ele e vocês...Felizmente vocês tiveram essa capacidade...mas acabaram por ser desconsiderados quando deixaram de precisar do vosso carisma e do vosso poder militar...que o 25 de Abril vos tinha acrescentado!!!!
Obrigado pelas palavras Amigas...no essencial lutamos e lutámos pelas mesmas causas...creio nissso!!!Por isso digo que as nossas guerrinhas foram uma falsa questão...outros designios espreitavam os poderosos....Abraço!
Manuel Duran Clemente no Facebook

Sem comentários:

Enviar um comentário