AVISO


OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturas e desacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá
obviamente, da minha aprovação que depende
da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não
contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente
com a excepção dos que o sistema considere como
SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam
a apologia do racismo, xenofobia, homofobia
ou do fascismo/nazismo.


segunda-feira, 28 de novembro de 2011

FIM DO EURO DEPENDERÁ DA ITÁLIA ? 600 mil milhões para salvar a Itália !


Crise: FMI já está a estudar empréstimo

600 mil milhões para salvar Itália

O Fundo Monetário Internacional (FMI) está a estudar um plano de ajuda a Itália no valor de 600 mil milhões de euros – mais de 3,5 vezes o PIB português, que ronda os 170 mil milhões de euros. Alemanha e França já avisaram que colapso italiano levará ao fim do euro.



De acordo com o jornal italiano ‘La Stampa’, o empréstimo do FMI daria ao recentemente empossado governo liderado por Mario Monti entre 12 a 18 meses para implementar cortes orçamentais e reformas de estímulo à economia, "aliviando a necessidade de refinanciamento da dívida".
A dimensão do empréstimo em questão, que, segundo fontes em Washington citadas pelo ‘La Stampa’, pode variar entre 400 e 600 mil milhões de euros, dificulta a utilização dos recursos actualmente disponíveis à instituição liderada por Christine Lagarde. Por esta razão, o FMI estará a estudar várias hipóteses, incluindo a de uma acção conjunta com o Banco Central Europeu (BCE).
A possibilidade de Roma ter de recorrer à ajuda do FMI levou ontem um porta-voz do governo francês a admitir que a crise italiana "afecta o coração da Zona Euro".
Em comunicado, o governo italiano revelou ontem que a Alemanha e a França reiteraram o seu apoio a Mario Monti "afirmando-se conscientes de que o colapso de Itália levará inevitavelmente ao fim do euro e a uma interrupção do processo de integração europeia com consequências imprevisíveis". O aviso foi feito durante uma reunião entre a chanceler alemã, Angela Merkel, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, e o primeiro--ministro italiano na quinta--feira, em Estrasburgo.
Os três países querem um novo pacto Zona Euro com "verdadeiras sanções" para reforçar a disciplina fiscal.
PROGRAMA DE APOIO "É UMA BELÍSSIMA IDEIA"
O economista Miguel Beleza admitiu ontem ver com "apreensão" a possibilidade de a Itália precisar de uma ajuda de 600 mil milhões de euros, mas sublinhou que "qualquer alternativa é pior" e que é uma "belíssima ideia" ter um programa de apoio preparado.
"Vejo com alguma apreensão essa possibilidade, mas qualquer alternativa é pior", resumiu o antigo ministro das Finanças e ex-governador do Banco de Portugal que também já trabalhou no Fundo Monetário Internacional (FMI). Beleza fez estas declarações a propósito de uma notícia do jornal italiano ‘La Stampa’, que revelava que o FMI preparou um plano de ajuda até 600 mil milhões de euros caso a crise da dívida da Itália se agrave.
CM

Sem comentários:

Enviar um comentário