AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quarta-feira, 26 de julho de 2017

CURIOSIDADES - Por que motivo se diz "esperto como O alho"?


A rua mais pequena da cidade do Porto é uma transversal entre a Rua de Mouzinho da Silveira e a Rua das Flores, tem apenas 30 metros e passaria despercebida se não fosse o seu nome curioso, pois chama-se Rua de Afonso Martins Alho.
Mas quem foi Afonso Martins Alho? O homem que deu nome à pequena rua foi um rico mercador portuense, do século XIV, que, além de ser um negociador nato, também esteve ligado à Administração Municipal tendo chegado a ser Vereador da Câmara.
Em 1353, no reinado de D.Afonso IV, havendo condições para a realização de um acordo comercial, entre Portugal e a Inglaterra, o rei português, encarregou o portuense Afonso Martins Alho e o mercador lisboeta Gomes de Limpas, (conhecido como "o mercador Limpas"), para irem a Londres negociar e firmar um tratado comercial.
Em nome do rei português, os dois comerciantes assinaram, em Londres, com Eduardo III da Inglaterra, o primeiro Tratado de Comércio e Pesca Anglo-Luso. Deste tratado, resultou um acordo de entendimento referente à importação de bacalhau contra o envio de vinho verde, expedido de Viana do Castelo. Os dois enviados conseguiram obter, do soberano inglês, um salvo-conduto anual para todos os mercadores e navios portugueses nos portos britânicos e, grande parte desse êxito, deveu-se à sagacidade e grande habilidade de negociador de Afonso Martins Alho.
Algum tempo depois, Afonso Martins Alho voltou de novo a Londres como mensageiro e procurador dos mercadores e comunidades das cidades marítimas de Lisboa e Porto para celebrar um tratado de comércio, composto por oito artigos, válido por 50 anos, e assinado em Londres em 20 de Outubro de 1353.
Graças à grande habilidade, sagacidade e astúcia de negociador de Afonso Martins Alho, a partir de certa altura, começou a usar-se a expressão "fino como o alho", passando, tal expressão, a incorporar-se na língua portuguesa, significando com ela que certo indivíduo é muito esperto, muito sagaz e astucioso. Mas atenção: correcto é dizer-se: "esperto como O alho" e nunca "esperto como UM alho", pois refere-se a ao homem que era esperto (Afonso M. Alho) e não ao alho que usamos na culinária.


Ana Sara Cruz (facebook)

Sei de um ninho


Sei um ninho.
E o ninho tem um ovo.
E o ovo, redondinho,
Tem lá dentro um passarinho
Novo.


Mas escusam de me atentar:
Nem o tiro, nem o ensino.
Quero ser um bom menino
E guardar
Este segredo comigo.
E ter depois um amigo
Que faça o pino
A voar...


Miguel Torga

A tal empresária que fala das vítimas de Pedrogão Grande - Testemunhos de ex-trabalhadores da Dialectus



A "EMPRESÁRIA" QUE AS TELEVISÕES E O PSD APRESENTARAM PARA FAZER DE POLÍCIA E SEMEAR A MENTIRA SOBRE AS VÍTIMAS DE PEDROGÃO GRANDE É A DONA DESTA EMPRESA.
OUÇAM OS SEUS TRABALHADORES.
VIGARISTAS, GATUNOS, ALDRABÕES, CRIMINOSOS, SÃO ESCOLHIDOS A DEDO PELA SIC/TVI/RTP E PELO "DIABO" LARANJA DO PSD PARA ENGANAR OS PORTUGUESES.

A "SIC"



A SIC DEVERIA TER AS SUAS INSTALAÇÕES NUM QUALQUER ATERRO DE LIXO SEM O MÍNIMO DE TRATAMENTO.
É ASSIM A ESTAÇÃO TELEVISIVA E O GROSSO DOS SEUS JORNALISTAS SALVO ALGUMAS EXCEPÇÕES.

VÍDEO: baleia jubarte fica presa no porto do sul da Califórnia




Baleia jubarte
Uma baleia jubarte entrou para um porto do sul da Califórnia 

As autoridades depois de horas de trabalho ajudaram-na a encontrar o seu caminho, jogando um ciclo contínuo de sons de baleia jubarte e alimentação durante a noite, perto do ponto de entrada e saída do porto.
A idéia era levar a baleia para a água aberta sob a crença de que haveria algo de bom para comer.
A criatura de 40 pés de comprimento espreitou os velejadores e os transeuntes na praia por horas. 

VÍDEO


fox21news.com

26 de Julho de 1952: Morre Eva Perón, esposa do então presidente da Argentina.


 

Eva Duarte Perón, a esposa do presidente argentino Juan Domingo Perón, morre aos 33 anos de cancro. Antiga vedeta da rádio e do teatro, ela tornou-se conhecida pelo seu apoio aos pobres aquando de uma grande manifestação dos “descamisados" em Buenos Aires em 1945. Com a chegada ao poder de Perón, ela tornou-se a sua mais próxima colaboradora e o seu carisma desempenhou um papel primordial no sucesso político do marido. Perón viria a cognominá-la com o título de “chefe espiritual da nação”. Quando a rádio anunciou a morte de Evita, os argentinos em transe desceram às ruas em massa para manifestar sua dor.


Embalsamado, o seu corpo ficou exposto à visita pública até que, durante o golpe de Estado que derrubou Perón em 1955, o seu cadáver foi roubado e enterrado em Milão, Itália. Dezasseis anos mais tarde, em 1971, o corpo foi exumado e transladado para Espanha. Ali foi entregue ao ex-presidente Perón, que vivia exilado em Madrid. O médico argentino que embalsamou Evita revelou que fora um trabalho perfeito, uma vez que, Evita parecia "uma boneca" devido à sua baixa estatura, pele alva e vestido de cetim branco.


Uma das principais figuras do movimento peronista, Eva Perón, ou simplesmente Evita, como ficou conhecida, conquistou os argentinos com a sua política populista, que viam nela a esperança para os necessitados. Filha mais nova de um grande proprietário de terras, Juan Duarte, e da sua sua amante, Juana Ibarguren, Eva Maria Ibarguren, de seu verdadeiro nome, nasceu no dia 7 de Maio de 1919, na pequena cidade de Los Toldos.


Após passar a infância na cidade natal, onde ela e os seus quatro irmãos sofreram por serem filhos ilegítimos, Evita, aos 11 anos, mudou-se com a família para Junín, na província de Buenos Aires, onde, apesar do preconceito, as suas irmãs conseguiram fazer bons casamentos e progrediram na sociedade. Quatro anos depois, foi sozinha para Buenos Aires para tentar alcançar o estrelato.


Só, sem recursos e com pouca instrução, Eva Perón passou por muitas dificuldades até chegar a ser uma actriz de certo renome na rádio, onde participava num programa de muita audiência e fazia algumas peças de teatro. Em 1944, durante uma campanha de socorro às vítimas do terramoto de San Juan, ela conheceu Juan Domingo Perón, que, aos 48 anos, se encantou com aquela jovem de 24 anos e cabelos ainda escuros.


Rapidamente o romance entre os dois tornou-se público, já que Perón, na época à frente do Ministério do Trabalho, gostava de chocar os seus correligionários e amigos ao apresentá-la de maneira formal como sua amante. Após pintar os cabelos de loiro para um filme, Evita falsificou os seus documentos, transformando-se em Maria Eva Duarte, nascida em Junín, em 1923, para poder casar-se legalmente com o coronel Perón numa cerimónia intima e para poucos amigos.

Após a sua forte actuação na campanha presidencial, que levou Perón ao poder em Fevereiro de 1946, Eva foi convidada para uma viagem a Itália, França, Espanha e Suíça, onde passou três meses e retornou com um novo guarda-roupa repleto de roupas de grandes costureiros. Um artigo publicado na revista Life, em 1950,  que mostrava os seus inúmeros armários com joias, peles, sapatos e vestidos de grandes estilistas causou espanto na comunidade internacional.


No papel de primeira-dama, Evita desenvolveu um trabalho intenso a nível político, criando o Partido Peronista Feminino e dando direito de voto às mulheres em 1947. Ao mesmo tempo, a nível social, desenvolveu a Fundação Eva Perón, onde trabalhava mais de 18 horas por dia distribuindo alimentos, roupas, construindo hospitais, escolas, lares para mães solteiras e asilos para idosos. Apesar de ter ganho a simpatia da classe menos favorecida da população, Evita era severamente atacada pela oposição, que transferiu para ela a antipatia e a rejeição que sentiam por Perón.


Impulsionada pelas massas para candidatar-se à vice-presidente, Evita -que se encontrava doente em consequência de um cancro diagnosticado em 1946, mas que não foi tratado- negou o pedido dizendo que o seu "humilde coração de mulher Argentina" a impedia de assumir tal cargo.


Após vários meses de sofrimento, Eva Perón faleceu no dia 26 de Julho de 1952, com apenas 33 anos. A sua morte causou uma comoção nacional sem precedentes na história da Argentina. O seu velório durou 14 dias, sendo acompanhado por milhares de argentinos que se comprimiriam nas ruas e avenidas de Buenos Aires para se despedir da "mãe dos descamisados". 

Fontes: Opera Mundi
wikipedia (imagens)
Eva e Juan Perón  casaram-se  em  1945
  
Retrato oficial de  Juan Domingo Perón e Evita,  da autoria de Numa Ayrinhac em 1948.
Eva discursando em público

Encontram quatro toneladas de ouro em um barco nazi que afundou na Segunda Guerra Mundial

Segundo diversos tabloides britânicos, ocorreu perto da costa da Islândia. Uma equipe de mergulhadores da companhia britânica Advanced Marine Services, que se encontrava de serviço, achou algo surpreendente: um cofre de ouro cujo valor supera os 130 milhões de dólares . A história do tesouro poderia ser mais surpreendente que o próprio achado. O ouro está no interior de um navio alemão que naufragou durante a Segunda Guerra Mundial. O barco, um cargueiro SS Minden, afundou a uns 200 quilômetros ao sudeste da Islândia em 24 de setembro de 1939, isto é, quase no começo da grande guerra.

Encontram quatro toneladas de ouro em um barco nazista que afundou na Segunda Guerra Mundial
Quanto à história do ouro -provavelmente produto de pilhagem nazista-, acreditam que os alemães tinham retirado dos bancos da América do Sul, onde tinham depositado (?). O cargueiro partiu em 6 de setembro de 1939 do Rio de Janeiro, sua direção era algum porto da Alemanha.

Em realidade e segundo conta o Sun, o cargueiro devia ter partido originalmente desde Buenos Aires com destino a Durban, África do Sul. E dali até a Alemanha. O problema? África do Sul era uma colônia inglesa, território inimigo para os alemães. Por esta razão decidiram mudar a rota para o norte.

Segundo os pesquisadores, o barco foi interceptado perto da costa de Islândia pelos destroyers britânicos, o HMS Dunedin e o HMS Calypso. Foi em esse momento quando Hitler teria ordenado ao capitão do Minden que afundasse o barco com o tesouro antes que os aliados se apoderassem do ouro.

O capitão obedeceu as ordens e os soldados alemães foram detidos, mas os nazistas guardaram o segredo do tesouro escondido até agora. Segundo a Advanced Marine Services, a companhia que encontrou o cofre, uma vez recuperado tratarão de levá-lo ao Reino Unido.

Frustrantemente, o governo islandês declarou que a tripulação do AMS não tinha a licença certa, permitindo que eles recuperassem o naufrágio e seu conteúdo, e agora há uma batalha legal para determinar quem é o dono da descoberta.
Encontram quatro toneladas de ouro em um barco nazista que afundou na Segunda Guerra Mundial
Uma das maiores descobertas de ouro roubado pelos alemães aconteceu no coração da Alemanha pela 90ª Divisão de Infantaria do 3º Exército dos EUA em 1945, o espólio incluia mais de 8.300 barras de ouro, 55 caixas de lingotes, 3.330 sacos de moedas de ouro, oito sacos de anéis de ouro, prata e platina. E obras de arte valiosas.


www.mdig.com.br